Paranatinga, 24 de Abril de 2018

Variedades

Sobrevivente do Holocausto morre esfaqueada e queimada na França

SUPOSTO ATAQUE ANTISSEMITA | 26/03/2018 22:07:39


O Ministério Público da França abriu nesta segunda-feira (26) um inquérito policial para investigar a morte de uma sobrevivente do Holocausto de 85 anos que foi encontrada morta em seu apartamento em Paris na última sexta.

 

A procuradoria de Paris está tratando a morte como um ataque antissemita, informa a agência de notícias France Presse. Sua neta acusou um vizinho muçulmano como o autor do crime.

 

O corpo parcialmente carbonizado de Mireille Knoll foi encontrado em seu apartamento no 11º arrondissement de Paris. Segundo o jornal “Le Parisien”, Knoll foi esfaqueada e encontrada pela polícia e os bombeiros enquanto seu apartamento estava em chamas. Uma fonte disse ao jornal acreditar que seus assassinos colocaram fogo no local para apagar os vestígios do crime.

 

O procurador exigiu a detenção provisória de dois suspeitos: um vizinho da vítima e outra pessoa suspeita de cumplicidade. Ainda de acordo com o “Le Parisien”, o vizinho tinha o histórico de condenação por agressão sexual contra uma jovem que é filha da enfermeira de Knoll.

 

A octogenária, que morava sozinha em seu apartamento, sofria do mal de Parkinson, se movia com dificuldade e tinha ajuda de uma enfermeira, diz o periódico francês.

 

O filho de Knoll afirmou ao jornal “Times of Israel” que um dos suspeitos detidos era um visitante regular de sua mãe e que era “tratado como um filho”. “Estamos em choque. Não entendo como alguém poderia matar uma mulher que não tem dinheiro e que mora em um complexo de habitação social”, disse o filho, Daniel, ao jornal.

 

Sua neta, Noa Goldfarb, disse em um post no Facebook que o suspeito é muçulmano: “Minha avó foi esfaqueada até a morte 11 vezes por um vizinho muçulmano que ela conhecia bem, que fez questão de atear fogo em sua casa e nos deixar sem nenhum objeto, carta, fotografia para nos lembrar dela. Tudo o que temos são nossas lágrimas e uns aos outros”, escreveu.

 

Durante a 2ª Guerra Mundial, Knoll conseguiu escapar do nazismo em uma fuga em massa de judeus da capital francesa.

 

A notícia de sua morta causou grande comoção na comunidade judaica. Uma marcha será realizada em apoio à sua memória na próxima quarta-feira, data prevista para ocorrer seu enterro.

 

Fonte: G1

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE