Paranatinga, 25 de Maio de 2020

Saúde

UTI

Mesmo com leitos sobrando, deputados reclamam de mortes por falta de UTI e Botelho busca solução com governo

Publicado 10/05/2020 21:12:28


Os deputados Eduardo Botelho (DEM), Janaina Riva (MDB), Elizeu Nascimento (DC) e Oscar Bezerra (PV) lamentaram o fato de o Estado ter quase 100 leitos desocupados em Unidades de Terapias Intensivas (UTIs) e pessoas continuarem morrendo em Mato Grosso por falta de internação, sendo que os postos vagos são destinados a pessoas com a Covid-19. 



Oscar Bezerra citou o exemplo do amigo Alencar Fantini, que faleceu durante a semana porque estava necessitando de um leito com UTI. "Não é possível que o estado faça isso com o povo de Mato Grosso. Tem leito sobrando, a gente sabe que é para pacientes com Covid, mas não podemos perder pessoas por que faltam UTI. Preciso que o senhor faça essa cobrança, senhor presidente, juntamente com o secretário, senão mais pessoas vão morrer", disse Oscar. 

Janaína Riva endossou o coro de Oscar. Ambos são oriundos da cidade de Juara (distante 700km de Cuiabá) e o paciente que morreu por falta de UTI é desse município.

"Espero que o secretário Gilberto e o governador Mauro Mendes façam alguma coisa porque as pessoas não podem morrer. Tem leitos sobrando, não custa ocupá-lo com pessoas que necessitam. Eu e o Oscar ficamos de mãos atadas e acabamos perdendo um morador de Juara. A cidade que tem dois deputados não conseguiu resolver esse problema. Espero que o senhor nos ouça e busque uma ajuda para que isso não aconteça mais, pois tem muito tempo que não morre gente no estado por falta de UTI", disse a deputada. 

O deputado Elizeu Nascimento (DC) argumentou que é necessário derrubar barreiras para salvar vidas. "É necessário quebrar barreiras e pensar lá na frente. Com certeza não podemos perder mais pessoas por motivos assim. Quer dizer que se a pessoa sofrer um infarto, não vai poder usar uma UTI do Hospital Metropolitano que está sem nenhum paciente? Vai morrer tendo vaga?", questionou o deputado. 

Botelho ouviu os pedidos e disse que pessoalmente irá recorrer ao secretário Gilberto, juntamente com o governador Mauro Mendes, para poder achar uma saída para isso. "Mesmo não tendo atingido o pico e tomara que não atinja, não podemos deixar gente morrer tendo leito de UTI vago. Vou falar com o governador e com o secretário sobre isso", se dispôs o presidente. 

Números de vagas

O governador Mauro Mendes e o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, apresentaram no dia 20 de abril ao Ministério Público Estadual (MPE-MT) e ao Tribunal de Contas do Estado(TCE-MT) a relação completa dos leitos destinados exclusivamente para o tratamento dos pacientes com a Covid-19, sendo 1.273 leitos, entre enfermaria e UTI.

Dos mais de mil leitos, 326 são de UTI, deles, 132 são da rede pública estadual ou foram contratados pelo Estado na iniciativa privada e hospitais filantrópicos. A prefeitura de Cuiabá informou que terá 139 leitos de UTI.

Sendo que, 60 estão no novo Pronto-Socorro da Capital, 49 no antigo prédio do pronto-socorro e 30 no Hospital São Benedito. Todos estarão disponíveis exclusivamente para os pacientes da Covid-19 a partir de 4 de maio. 

Os demais leitos serão disponibilizados pelo Hospital Universitário Júlio Müller (21) e pelas prefeituras de Barra do Garças (5), Juína (6), Rondonópolis (10) e Tangará da Serra (13). O secretário explicou que a liberação dos leitos está ocorrendo de forma gradativa.

 

Fonte: olhardireto

Publicidade Áudio

Enquete

Na sua opinião qual investimento é mais urgente para Paranatinga

CONCLUIR HOSPITAL MUNICIPAL

ASFALTAR BAIRROS

MELHORAR ILUMINAÇÃO

SINALIZAÇÃO DE TRANSITO E RUAS

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE