Paranatinga, 15 de Outubro de 2018

Ronda Policial

Médica acusada de ajudar a planejar morte de prefeito em MT usou diploma de especialização falso, diz MP

EM COLNIZA | 11/01/2018 14:44:12


A médica Yana Fois Coelho Alvarenga, acusada de ajudar a planejar o assassinato do prefeito de Colniza, a 1.065 km de Cuiabá, Esvandir Antonio Mendes, usou diploma de especialização falso, segundo o Ministério Público de Mato Grosso (MP-MT) . A informação consta numa nova denúncia oferecida à Justiça contra a médica.

De acordo com o MP, Yana usou um certificado falso para comprovar o tempo de residência médica na Universidade de São Paulo (USP) e especialidade em pediatria.

Os dados, no entanto, foram negados pela Comissão de Residência Médica (Coreme) da instituição.

Yana foi denunciada por uso de documento falso, falsidade ideológica e crime continuado. A nova denúncia é assinada pelo promotor Willian Oguido Ogama. Ela está presa desde o dia 24 de dezembro na Penitenciária Ana Maria do Couto May, em Cuiabá, e teve recentemente um habeas corpus negado pela Justiça.

Na decisão, o juiz Ricardo Nicolino de Castro, da Comarca de Porto dos Gaúchos, a 644 km de Cuiabá, afirma que ela tinha conhecimento da “trama criminosa” e que prestou o auxílio necessário para a execução do prefeito.

A médica é mulher do empresáro Antônio Pereira Rodrigues, apontado como mandante do homicídio. Yana o marido e mais dois foram denunciados por participação no crime.

 

Fim do contrato

 

Recentemente, o MP pediu o rompimento do contrato da médica que atendia no Hospital André Maggi, em Colniza.

No pedido, o órgão alega que antes de ser assassinado, Esvandir havia informado, de maneira informal, que não renovaria o contrato com a médica e que convocaria aprovados em concurso. Yana não era concursada e prestava serviços para a prefeitura.

 

Morte de prefeito

 

Esvandir foi morto no dia 15 de dezembro quando voltava da zona rural do município. Ele foi perseguidos pelos suspeitos que estavam em um SUV de cor preta. Após os disparos, o prefeito ainda conseguiu dirigir e chegar no perímetro urbano.

O corpo de Esvandir foi levado para Rondônia, onde foi sepultado. Primeiro, foi realizado um velório, no ginásio municipal de Colniza, e depois o corpo foi levado para Ji-Paraná (RO). Várias pessoas acompanharam o velório na cidade e se emocionaram.

 

 

Fonte: G1

Rádios

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE