Paranatinga, 24 de Abril de 2018

Ronda Policial

Assassinos de personal se escondiam em casa alugada há 25 dias por amigo

NAO RESISTIRAM | 14/03/2018 21:48:49


A Polícia Civil do Estado de São Paulo informou alguns detalhes sobre a prisão de Guilherme Dias de Miranda e Walisson Magno de Almeida, respectivamente o mandante e o executor do personal trainer Danilo de Campos. Os dois criminosos foram detidos em uma casa em um condomínio, alugada há 25 dias por um amigo de Guilherme. Os dois não resistiram à prisão e ainda não há confirmação para a transferência deles para Cuiabá.

 
A Polícia Civil de São Paulo informou ao Olhar Direto que recebeu uma solicitação de apoio da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Mato Grosso e realizou diversas atividades de inteligência e diligência nas buscas aos dois foragidos.

Guilherme e Walisson foram localizados em uma residência em um condomínio no bairro Vila Isa, zona sul da capital paulista. O local foi alugado por um amigo de Guilherme há cerca de 25 dias.

Os suspeitos não ofereceram resistência à prisão e foram encaminhados ao 77º Distrito Policial de São Paulo, onde ainda aguardam a transferência para Cuiabá. Um documento falso foi encontrado com Guilherme e encaminhado à perícia.

Com relação às passagens para fora do Brasil, a Polícia Civil de São Paulo disse que não foi levantada qualquer informação neste sentido.

O caso

De acordo com o boletim de ocorrências, o fato ocorreu em uma distribuidora no bairro Duque de Caxias por volta das 21h20 do dia 8 de novembro. Quando chegaram ao local os policiais encontraram a vítima já caída ao chão.
 
Populares disseram aos militares que viram dois homens em uma motocicleta alta se aproximarem e o garupa efetuar os disparos contra Danilo.
 
A DHPP foi acionada e o caso é conduzido pela delegada Alana Cardoso. Na tarde do dia 14 de novembro o suspeito havia sido identificado, no entanto teria fugido. Ele saiu de sua casa em um condomínio em Várzea Grande por volta das 10h47 do dia 14, e depois disto não foi mais visto.
 
A polícia apurou que Guilherme Dias de Miranda, o mandante do assassinato, usava documentos falsos para se esconder, junto com Walisson. A esposa de Guilherme chegou a ser presa, mas foi solta por colaborar com a polícia.

No último dia 9 de março, cerca de quatro meses após o crime, Guilherme e Walisson foram presos em uma ação conjunta da Polícia Civil de Mato Grosso com a de São Paulo. Os dois estavam com passagens compradas para fugir do Brasil.

 

Fonte: Olhar Direto

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE