Paranatinga, 11 de Dezembro de 2017

Regional

Noivos pagam R$ 30 mil, mas ficam sem festa de casamento; Polícia deve instaurar inquérito

EM RONDONÓPOLIS | 28/11/2017 11:03:51


Os noivos Luana Mores Barbosa, de 19 anos, e Magno Rodrigues, de 23 anos, receberam um golpe da empresa que contrataram para realizar sua cerimônia de casamento no valor de R$ 30 mil, neste sábado (25) no município de Rondonópolis (a 483 km de Cuiabá). A mãe de Luana registrou um boletim de ocorrência contra a empresa nesta segunda-feira (27), na 1ª Delegacia de Polícia de Rondonópolis que deverá abrir um procedimento para apurar o caso. 

No dia da festividade, o contratado, identificado como Jhonatan Almeida, da empresa ‘Evento 7 Assessoria e Produção de Eventos’, não compareceu ao local e deixou o espaço alugado com a decoração incompleta e pouco a ver com o que foi contratado.

Luana e Magno foram amparados por outra empresa de cerimonial, e por familiares e amigos, que conseguiram realizar o casamento. No desespero, os amigos chegaram a comprar doces e refrigerantes em supermercados da região para tentar garantir a festividade.

Ao Olhar Direto, Luana disse que o dia 25 de novembro jamais poderá ser esquecido."Entrei na igreja chorando. Nem mesmo o buquê eu tinha. Foi a outra empresa {cerimonial que se comoveu com o caso e ajudou gratuitamente} que arrumou. 

Ela ainda contou que todos os pagamentos foram devidamente registrados em cartórios no dia 25 de agosto (três meses antes da data agendada para a cerimônia). 

No mesmo dia, por volta das 23h, enquanto ainda estava na festa 'improvisada' de casamento Luana relata que conseguiu por meio de um número celular que pegou com um conhecido falou com Jonathan por alguns minutos. Ele somente repetia: "Luna me perdoa. Luana me perdoa". 
 
Neste domingo (26) Luana, em seu perfil no Facebook, fez uma postagem onde contou sobre o golpe que sofreu e alertou outras pessoas sobre o contratado. Ela também agradeceu a PH Cerimonial, empresa que os ajudou a realizar a festa.

“Meninas de plantão, noivinhas todas, ontem foi meu casamento levei um golpe de mais de 30 mil reais, o cara é do recanto natural próximo ao cais o nome é Jhonatan só levou meu dinheiro, um alerta a todas!!!!!! Ele e sua namorada bons de papo me enganaram, meu casamento não tinha nada!!!! Se não fosse PH cerimonial eu não havia nem casado, que organizou tudo pra mim de graça, uma corrente do bem me ajudando, e isso com varias outras pessoas... estou totalmente arrasada”, disse Luana.

No perfil da PH Cerimonial também foi feita uma postagem contando o caso de Luana e Magno e como foi possível realizar o casamento. A cerimônia estava marcada para as 17h, mas só foi acontecer depois das 20h, após ajuda de amigos e familiares dos noivos.

“O casal Magno e Luana, decididos a realizar o sonho de casar, tiveram a frustrante situação de ter a pessoa que foi contratada e paga para entregar espaço, decoração, flores, buffet e contratar todos os profissionais necessários para a realização do casamento, simplesmente sumir (ou melhor PH pediu para ele sumisse do local para não acontecer algo pior) horas antes da cerimônia. Deixando apenas o espaço aberto, com uma decoração incompleta e pouco haver com a que os noivos contrataram, com uma cozinha sem comida, com uma mesa de doce sem doces, com profissionais prestadores de serviço sem receber”, se manifestou a empresa.

Nas redes sociais muitas pessoas se solidarizaram com o casal e se mostraram indignadas. Alguns dos que comentaram também contaram que já tiveram problemas com a mesma empresa que deu o golpe e já outros disseram que irão cancelar os planos que faziam com a empresa.

A mãe de Luana, Vanuza Mores, registrou nesta segunda-feira (27) um boletim de ocorrência na 1ª Delegacia de Polícia de Rondonópolis, contando que no dia 28 de agosto fecharam um contrato com a empresa de Jhonatan, de um pacote que inclúía diversos serviços para a realização do casamento e que tudo teria sido pago à vista.

A mãe da noiva ainda disse que teria vendido a casa para pagar o casamento. No dia da cerimônia descobriram que Jhonatan teria fugido da cidade e os pais dele procuraram as vítimas dizendo que seu filho era um coitado e que não daria resultado entrar na Justiça contra ele, já que não tem posses. O caso ainda deve ser investigado.

Outro Lado:

Olhar Direto entrou em contato com a empresa Evento 7, que tem sede em Rondonópolis,  em dois telefones que foram disponibilizados no contrato assinado pelos noivos de finais (66) 1807 e (66) 4386, mas sem sucesso. O site está a disposição para divulgação do outro lado. 

 

Fonte: Olhar Direto

FACEBOOK