Paranatinga, 24 de Maio de 2018

Regional

Mãe muda versão e diz que pai tentava salvar o filho

MORTES NO RIO | 17/04/2018 11:04:28


Investigações da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) concluíram que Magno Ferreira de Moraes, de 25 anos, morreu afogado ao tentar, sem sucesso, salvar a vida do filho de 4 anos, em 28 de janeiro, no Rio Cuiabá. A criança também morreu.

  

Na época dos fatos, a esposa de Magno, mãe da criança e única testemunha, apresentou versões contraditórias na delegacia. Inicialmente ela declarou que o companheiro havia se suicidado, lançando-se ao rio abraçado ao filho do casal.

 

No entanto, as investigações apontaram que a versão apresentada pela mãe era fictícia. Confrontada, a mulher - S.S.N, 26 anos - acabou confessando que inventou a história para que não a julgassem como uma "mãe relapsa".

 

“Os trabalhos de investigação demonstraram que a família estava no rio em uma canoa, quando o menor soltou a mão da mãe, escorregou e caiu no rio. Neste momento, Magno pulou para tentar salvar o filho e também desapareceu na água. Como Selma não tentou salvar o menino por não saber nadar, disse que pensou que pudesse ser criticada, o que a motivou a inventar a história do suicídio. Declarou também que Magno era um excelente pai e marido”, explica a delegada.

 

Em razão da conduta da mãe, a delegada Ana Cristina Feldner requisitou laudo de sanidade mental na Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) para avaliar algum distúrbio psiquiátrico.

 

De acordo com a delegada, o objetivo é apontar se a mulher consegue avaliar a gravidade de sua acusação inicial e se sente remorso ou culpa por denegrir a imagem de Magno.

 

“Buscamos ainda avaliar se por eventual falta de conhecimento, ou sanidade mental, ela possa ter contribuído de alguma forma para que o menor caísse no rio”, afirma a delegada.

 

Fonte: Midia News

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE