Paranatinga, 19 de Novembro de 2017

Política

“Todos são bem vindos ao PP”, afirma Maggi a parlamentares destituídos do PSB de Mato Grosso

POLÍTICA MT | 30/10/2017 11:24:08


Tratado pela maioria como consultor obrigatório para decisões políticas, o ministro da Agricultura e Pecuária, senador mato-grossense Blairo Maggi (PP), abriu as portas do Partido Progressista para o ex-prefeito Mauro Mendes e os parlamentares destituídos pelo Diretório Nacional do PSB. No próximo dia 26, a Executiva Nacional do PSB decide se expulsa ou não o presidente regional afastado, deputado federal Fábio Garcia, e os demais, por extensão.
  
“Nunca fui de fazer política pressionando. Todos devem estar seguros do que estão fazendo. Mas, sim, são bem vindos ao PP”, afiançou Maggi, que possui militância histórica com Mauro Mendes e os deptuados federal Adilton Sachetti e estaduais Mauro Savi, Eduardo Botelho e Professor Adriano Silva, todos em vias de saírem do PSB.
 
O presidente regional do PP, deputado federal Ezequiel ngelo Fonseca, já havia antecipado à reportagem do Olhar Direto, recentemente, que “a maioria” dos dissidentes do PSB seriam “bem vindos” à legenda progressita.
 
O ministro e senador licenciado crê ser possível abrigar parcela considerável dos dissidentes do PSB, no PP, mas deixa-os livres para que decidam. “Cada um tem um projeto político. E, lógico, deve ver onde lhe cabe”, ponderou Maggi, para a reportagem do Olhar Direto.  
 
Mendes, Sachetti e Savi já estiveram no mesmo partido Maggi em duas ocasiões: PPS e PR. A primeira candidatura de Mauro Mendes à Prefeitura de Cuiabá, em 2008, foi pelo PR, tendo as bênçãos de Maggi e coordenação do trator Luiz Antônio Pagot.
 
Em 2004, Sachetti se elegeu prefeito de Rondonópolis pelo PPS, tendo o à época goverandor Blairo Maggi como coordenador geral. “É bom tomar a definição, com maior tranqüilidade e a maior segurança. Não sou de pressionar ninguém, porque não é legal... e não é justo”, resumiu Maggi, sobre o convite formal dos destituídos do PSB para ingresso no PP.
 
Além de Fábio Garcia e Mauro Mendes, são atingidos pela decisão do PSB nacional, no frigir dos ovos, o deputado federal Adilton Sachetti e os deputados estaduais Eduardo Botelho, presidente da Assembleia Legislativa; Oscar Bezerra, Mauro Savi, Professor Adriano Silva e Maxi Russi – licenciado para se secretário-chefe da Casa Civil. São inclusos o secretário de Estado de Agricultura Familiar, Suelme Evangelista Fernandes; o presidente do Instituto de Terras do Estado (Intermat), ex-deputado Cândido Teles; e ainda dezenas de prefeitos e vereadores mato-grossenses.

(Colaborou Érika Oliveira)

 

Fonte: Olhar Direto

FACEBOOK