Paranatinga, 16 de Dezembro de 2018

Política

DISCURSO POLÍTICO

Taques: Mato Grosso tem melhorado em todos os seus indicadores

Publicado 17/06/2018 23:04:55


O governador Pedro Taques (PSDB) voltou a defender os feitos de sua gestão em recente evento político realizado em Cáceres (a 230 km de Cuiabá). Ele afirmou ser “impossível” satisfazer todas as necessidades do Estado, mas disse que houve melhora em todos os indicadores.

 

No discurso de 15 minutos (veja o vídeo ao final da matéria), o tucano afirmou ter obtido resultados positivos na Educação, na qualidade das estradas e na Segurança, e prometeu concluir diversas obras ainda este ano para, só então, “assumir novos compromissos”.

 

“As pessoas dizem que a nossa administração não fez tudo o que poderia ser feito. Quero confessar aqui que, diante do quadro que encontramos o Estado, diante do momento histórico que o Brasil vive, é impossível satisfazer todas as necessidades de um Estado como o nosso”, afirmou.

 

“Mas nós fizemos muito e fizemos muito mais do que aqueles que por aqui passaram e nada fizeram. Alguns estão dizendo que nós teríamos errado. Essas pessoas que estão dizendo isso, perguntem a eles onde o Pedro Taques errou?”, questionou.

 

Taques disse ser vítima de críticas por conta do pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) dos servidores, pelo aumento para os profissionais da Educação e por não privatizar a Unemat. Ele disse não se arrepender de nenhuma dessas decisões.

 

 

“Elas dizem que errei porque garanti 52% de aumento para os 40 mil profissionais da Educação. Se isso é errado, quero continuar a errar para melhorar a educação do Estado. Algumas pessoas estão dizendo que errei por garantir o pagamento da RGA. Quero dizer que se isso é pecar, sou um pecador. Eu garanti o que estava escrito na lei. Se isso é errar, quero continuar errando. Porque Mato Grosso tem melhorado em todos os seus indicadores”, afirmou.

 

Diante do quadro que encontramos o Estado, diante do momento histórico que o Brasil vive, é impossível satisfazer todas as necessidades de um Estado como o nosso

 

"Quando assumimos o Governo, MT era o 25º Estado pior colocado em Educação. Hoje, estamos em 21º. E no IDEB, que vai sair no mês de agosto, estaremos entre os quinze primeiros colocados. São 10 posições em três anos e meio. Isso é avançar", disse.

 

"Algumas pessoas dizem que nós não fizemos nada. Quando assumimos o governo do Estado, MT era o 26º colocado nas rodovias estaduais. Hoje, MT é o sexto colocado entre as melhores rodovias. Isto é transformação. Isto é gestão", afirmou.

  

Taques prometeu concluir obras de estradas ainda em 2018. "Precisamos, sim, terminar alguns trechos de estradas, como os 7 km de Reserva do Cabaçal e faremos isso. E não faremos isso em 2019, faremos neste ano de 2018, porque não queremos deixar promessas para frente. Para frente, queremos assumir um novo compromisso com o Estado de Mato Grosso", disse.

 

 

O governador admitiu que não resolveu "todos os problemas da Saúde". "Político tem que falar a verdade, porque quem fala a verdade não merece castigo. Nós tivemos avanços na Saúde do Estado. Nós instalamos 204 UTIs no Estado, enquanto a administração passada, em cinco anos, instalou 57 UTIs", completou.

 

Crise

 

Taques ressaltou, ainda, que administrou o Estado diante de uma situação de crise nacional. E que, mesmo assim, conseguiu fazer uma série de realizações.

 

Para ele, o principal problema é administrar sem ter dinheiro em caixa.

 

“Vocês não sabem o que é administrar sem dinheiro. O que é administrar diante de uma crise. Aqui temos pais e mães que querem dar tudo para seus filhos, mas não conseguem, porque a crise não permite que você possa cumprir todos os seus compromissos”, afirmou.

 

 

Estamos fazendo reflexões. Estamos aqui neste palanque pré-candidatos, porque eu não estarei nessa caminhada sozinho quando esta eleição vier

“Estamos encerrando este mandato com total tranquilidade e responsabilidade. Responsabilidade daquele que fez diante do quadro que nos encontramos”, disse.

 

Sem isolamento

 

Ainda em seu discurso, o tucano voltou a afirmar que, no momento oportuno, irá expor os motivos pelos quais foi “abandonado” por alguns de seus ex-aliados.

 

Ele rebateu alegações dando conta de que seu Governo estaria isolado. Citou o nome de uma série de prefeitos e demais lideranças que estavam no evento e disse não estar só em sua caminhada.

 

“Nós não estamos sozinhos. Temos companheiros. As pessoas me perguntam por que alguns não estão mais com Pedro Taques. Eu digo que a mim só interessam os companheiros leais. Mas, nas eleições, nós falaremos as razões pelas quais alguns pularam de lado. Vamos falar, dar nome e sobrenome e falar a razão”, disse.

 

“Nós não estamos em eleições ainda. Estamos fazendo reflexões. Estamos aqui neste palanque de pré-candidatos, porque eu não estarei nessa caminhada sozinho quando esta eleição vier”, completou.

 

 

Fonte: Midia News

Publicidade Áudio

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE