Paranatinga, 19 de Agosto de 2017

Política

Rede de postos pagou parte de Riva em empresa que fraudou VLT enquanto lavava dinheiro no Modelo

RIVA | 10/08/2017 13:07:11


As recentes confissões do ex-governador Silval Barbosa acabam por elucidar a organização criminosa que começou a ser desvendada desde a primeira fase da operação Ararath, em 2013. O nome do ex-chefe do Poder Executivo está se entrelaçando dia após dia com personagens como José Riva, Janete Riva, Júnior Mendonça e Supermercado Modelo. O cenário demonstra uma teia criminosa milimetricamente planejada.

Como exemplo do profissionalismo delituoso, a Polícia Federal, junto do Ministério Público, afirma que a empresa Multimetal Engenharia foi subcontratada pelo consórcio VLT ao preço de R$ 11,5 milhões, em 2012.

A subcontratação foi pedida pelo ex-deputado José Geraldo Riva, que cobrou a intercessão de Silval para facilitar o feito, visando a obtenção de vantagem indevida.

Ocorre que esta mesma empresa recebeu um aporte financeiro direcionado por Júnior Mendonça, em 2011 (um ano antes do contrato com o VLT), para o pagamento da primeira parcela, de um total de cinco, relativa à compra de 40% da Multimetal por Janete Gomes Riva.  
 
Segundo uma ação penal protocolizada pelo Ministério Público Federal em março de 2015, Júnior Mendonça fez um empréstimo milionário no BIC Banco em nome da rede de postos Amazônia Petróleo.
 
Parte do empréstimo no BIC Banco foi transferida para a Multimetal, empresa de Altair Baggio e Guilherme Lomba de Mello Assumpção, para o pagamento da primeira parcela, de um total de cinco, relativa à compra de 40% da empresa por Janete Gomes Riva.
 
Porém, desde 2011, época da transação, a formalização da entrada de Janete na sociedade nunca foi feita perante a Receita Federal ou a Junta Comercial.
 
A falta de formalização gerou a suspeita de que as operações financeiras em nome da Amazônia Petróleo e da Multimetal tinham como mandante e beneficiário final o ex-deputado estadual José Riva.  
 
A desconfiança foi confirmada por informações prestadas por Júnior Mendonça, delator premiado desde 2013 e agora por Silval Barbosa. O ex-governador decidiu confessar somente no ano de 2017.

Detalhes nebulosos

Alguns detalhes da organização ainda permanecem sob sombras. Segundo a Polícia Federal, o mesmo empréstimo milionário concedido pelo Bic Banco em 2011 foi parcialmente direcionado ao Supermercado Modelo, na figura de Altevir Pierozan Magalhães (ex-presidente).
 
Momentaneamente a PF considera que a transação configurou apenas uma lavagem de dinheiro.
 

Fonte: Olhar Jurídico

FACEBOOK