Paranatinga, 26 de Abril de 2018

Política

Prefeito foi executado na véspera de sessão que poderia cassá-lo

À LUZ DO DIA | 17/12/2017 22:10:21


O prefeito de Colniza Esvandir Antônio Mendes (PSB), de 61 anos, foi assassinado em meio a uma crise política que poderia levá-lo à cassação de seu mandato. A Câmara Municipal da cidade tinha marcado para este sábado (16) uma sessão para julgar se ele permaneceria ou não no cargo. A informação foi confirmada pelo vereador Johny Guariba (PSB).

 

Em agosto, Esvandir chegou a ser afastado de suas funções por 90 dias, por suspeita de gastos ilegais de dinheiro da iluminação pública e irregularidades na folha de pagamento dos servidores. Por decisão judicial, ele conseguiu ser reconduzido ao cargo.

 

Esvandir foi morto na tarde de sexta-feira (15) dentro do carro que dirigia, uma SW4 preta. Ele foi perseguido por uma caminhonete, cujo ocupante fez vários disparos. Além dele, estavam no carro sua esposa, seu genro e o secretário de Finanças Admilson dos Santos, que ficou ferido.

 

Quando levou os tiros, o prefeito retornava de uma viagem a Cuiabá. Ele teria sido perseguido por cerca de 12 quilômetros pelos assassinos.

 

Moradores ouvidos pela reportagem na manhã deste sábado (16) acreditam que a morte de “Vando da Colniza Tur”, como era chamado, tenha motivação política. As autoridades, no entanto, preferem a cautela. 

 

Ele é o segundo político assassinado na cidade em um intervalo de nove meses. Em março, o ex-vereador por três mandatos Elpídio Meira foi executado dentro de casa, em um crime ainda não esclarecido.

 

Ouvido pela reportagem, o promotor de Justiça da cidade, Willian Ogama, preferiu não fazer nenhum comentário sobre a possibilidade de o crime ter motivação política. Mas disse considerar estranho o fato de dois agentes políticos terem sido assassinados na cidade nos últimos meses.

 

Ele também não quis falar sobre suspeitos, já que as investigações correm em sigilo.

 

Colniza vive uma crise política há quase dois anos. Em janeiro de 2016, o então prefeito João Assis Raupp (PMDB), de quem Esvandir era vice,  foi cassado pela Câmara. Ele era acusado de superfaturamento na compra de medicamentos, no pagamento de diárias e no aluguel de um imóvel.

 

Com a saída de Raupp, Esvandir assumiu o posto e se candidatou à reeleição em outubro, conquistando a vitória nas urnas. Seu vice é Celso da Cacique (PT), que agora vai assumir o comando do Município.

 

O assassinato de Esvandir chocou a cidade. Segundo testemunhas, a caminhonete em que ele estava foi seguida por vários quilômetros da zona rural até a região central da cidade. As testemunhas contaram que, após ser atingido, ele perdeu o controle da direção. O carro foi parar quase dentro de uma retífica de motores.

 

Até a manhã deste sábado, o carro de Esvandir permanecia no mesmo local, atraindo a atenção de curiosos.  

 

Natural do Paraná, Esvandir estava em Colniza há cerca de duas décadas. Ele chegou à cidade como representante da empresa de ônibus Eucatur.  Nos últimos anos abriu sua própria empresa de ônibus, a Colniza Tur, que atua no transporte intermunicipal de passageiros.

 

Seu corpo foi velado no ginásio de esportes da cidade.

 

A reportagem tentou contato com o presidente da Câmara, Sargento Rodolfo Gonçalves, e com o relator da comissão processante Jesineison Brandão, mas não conseguiu contato com nenhum dos dois.

 

 

Fonte: Midia News

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE