Paranatinga, 19 de Abril de 2019

Política

LOA

Orçamento para 2019 prevê cortes aos Poderes exceto à ALMT

Publicado 14/10/2018 22:48:12


 

O governo de Mato Grosso enviou nesta semana à Assembleia Legislativa (ALMT) a proposta orçamentária de 2019. O documento estima uma receita total de R$ 19,7 bilhões.

 

O orçamento previsto é menor que o de 2018, que foi de R$ 20,3 bilhões. Entre 2017 e 2018, houve aumento de quase R$ 2 bilhões.

 

A proposta prevê redução de 3,5% a menos no orçamento do Executivo, que está estimado em R$ 16,7 bilhões. Para este ano, o orçamento previsto era de R$ 17,3 bilhões.

 

O documento diz que o período ainda é de crise e que por isso é preciso cautela. Além dos fatores econômicos, o governo argumenta que existe uma incerteza política.

 

"Há fatores não econômicos que podem afetar o crescimento econômico global, como a incerteza política, inclusive no contexto das próximas eleições e suas consequências imediatas em vários países, o que poderia influenciar o investimento privado e enfraquecer a atividade econômica", enfatiza.

 

Também deve haver redução no duodécimo repassado a todos os órgãos em relação ao ano passado, com exceção do Poder Legislativo.

 

O projeto de orçamento do próximo ano indica redução nos recursos da Defensoria Pública, que ficaria com R$ 138,4 milhões (2,69% a menos que em 2018), o Ministério Público Estadual com R$ 457,6 milhões (0,41% a menos); o Judiciário com R$ 1.486 bilhão (-0,59%) e Legislativo e Tribunal de Contas de Mato Grosso com R$ 896,1 milhões, que representa 0,24% a mais.

 

De acordo com a Assembleia, muitas secretarias também devem ter cortes. Uma delas é a Secretaria de Trabalho e Desporto. Já o gasto com Assistência Social deve aumentar em 467%.

 

Na abertura do documento, o governador Pedro Taques (PSDB) destaca que os R$ 150,1 milhões inicialmente previstos para atender as emendas parlamentares foram destinados ao orçamento da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

 

As despesas com pessoal devem crescer cerca de 5% e o pagamento de juros e encargos da dívida aumento de 27%. Os investimentos também devem ter redução de 47%.

 

A proposta do governo do estado foi lida durante a sessão de terça-feira (9) e deve ser ser analisada até o dia 18, em cinco sessões.

 

Fonte: G1

Publicidade Áudio

Enquete

Prefeitura e Câmara de Paranatinga lança Consulta Pública - UNEMAT

ADMINISTRAÇÃO

AGRONOMIA

PEDAGOGIA

TURISMO

CIENCIA DA COMPUTAÇÃO

CIÊNCIAS ECONÔMICAS

ENGENHARIA CIVIL

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

ENGENHARIA ELÉTRICA

FISICA

JORNALISMO

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ARQUITETURA E URBANISMO

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

EDUCAÇÃO FÍSICA

ENGENHARIA DE ALIMENTOS AGROINDUSTRIAL

ENGENHARIA FLORESTAL

GEOGRAFIA

LETRAS

QUIMICA

SOCIOLOGIA

ZOOTECNIA

AGROECOLOGIA

ARTES VISUAIS

CIÊNCIAS

ENFERMAGEM

FILOSOFIA

HISTÓRIA

MATEMÁTICA

SISTEMAS

TEATRO

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE