Paranatinga, 24 de Abril de 2019

Política

REIVINDICAÇÃO DE SERVIDORES

Mendes veta emenda que inclui o FEX na receita do Estado

Publicado 06/02/2019 10:34:50


 

O governador Mauro Mendes (DEM) vetou a emenda proposta à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) Estadual que incluía os recursos do FEX (Fundo Estadual de Auxílio à Exportação) no cálculo da receita corrente líquida do Estado.

  

A lei foi publicada no Diário Oficial do Estado que circula nesta quarta-feira (6).

  

A emenda havia sido proposta pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), e atendia a uma das reivindicações dos servidores públicos do Estado, que protestaram contra o pacote de leis proposto pelo governador.

  

 

No entendimento de parte do funcionalismo, bem como de alguns deputados, a exclusão do FEX da base de cálculo vai dificultar o pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) aos servidores. Isso porque, conforme a LRF estadual, a concessão do benefício só poderá ocorrer quando as receitas forem maiores que as despesas.

  

O Executivo, por sua vez, chegou a afirmar ser “ilógica” a inclusão do repasse na base de cálculo, uma vez que o pagamento do FEX não é automático e fica a critério do Governo Federal.

  

No ano passado, por exemplo, Mato Grosso deixou de receber mais de R$ 450 milhões relativos ao FEX porque a União decidiu não fazer o repasse.

  

O recurso é repassado pela União aos estados como uma forma de compensação pelas perdas com a Lei Kandir - que trata da isenção do ICMS nos produtos de exportação. 

  

Até o momento não há garantias de que os valores relativos a 2018 ingressarão nos cofres do Executivo.

  

Ainda segundo o Governo do Estado, o orçamento da União para 2019 também não prevê o repasse do FEX aos Estados.

  

Também foi vetada na lei uma emenda de autoria do deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB), que modificava o parágrafo 5º do art. 5º. A emenda citava, na limitação de empenho em caso de não cumprimento de metas, os poderes Judiciário, Legislativo, Tribunal de Contas e Defensoria Pública. 

 

Porém, segundo o veto do Excutivo, essa emenda perdeu o objeto em razão de uma outra, que restringiu a limitação ao Poder Executivo, em razão da autonomia financeira dos poderes, que não podem sofrer ingerência externa em suas finanças. 

Fonte: Mídia News

Publicidade Áudio

Enquete

Prefeitura e Câmara de Paranatinga lança Consulta Pública - UNEMAT

ADMINISTRAÇÃO

AGRONOMIA

PEDAGOGIA

TURISMO

CIENCIA DA COMPUTAÇÃO

CIÊNCIAS ECONÔMICAS

ENGENHARIA CIVIL

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

ENGENHARIA ELÉTRICA

FISICA

JORNALISMO

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ARQUITETURA E URBANISMO

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

EDUCAÇÃO FÍSICA

ENGENHARIA DE ALIMENTOS AGROINDUSTRIAL

ENGENHARIA FLORESTAL

GEOGRAFIA

LETRAS

QUIMICA

SOCIOLOGIA

ZOOTECNIA

AGROECOLOGIA

ARTES VISUAIS

CIÊNCIAS

ENFERMAGEM

FILOSOFIA

HISTÓRIA

MATEMÁTICA

SISTEMAS

TEATRO

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE