Paranatinga, 06 de Dezembro de 2019

Política

Fagundes aproveita vácuo para se posicionar como nome de MT entre ministros de Dilma

Publicado 13/01/2015


Wellington Fagundes assume vanguarda no diálogo dos interesses de Mato Grosso, em Brasília

Consciente da necessidade de buscar investimentos na União para viabilizar os projetos do Estado, o deputado federal e senador eleito Wellington Fagundes (PR) está aproveitando o pouco apetite político do ex-governador e senador Blairo Maggi (PR), além do pouco conhecimento do senador José Antônio Medeiros (PPS), para ampliar a ocupação de espaços, na Esplanada dos Ministérios.

A desenvoltura ficou ainda mais clara nas cerimônias de transmissões de cargo dos novos ministros Antônio Carlos Rodrigues, dos Transportes; e Kátia Abreu, de Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Ambos garantiram a Fagundes, após a posse, que Mato Grosso está na pauta das prioridades das ações de seus respectivos ministérios.
 
Os ministros prometeram, inclusive, com interlocução permanente e muito diálogo com os segmentos representativos do Estado. A garantia de espaço assegurado em encontro Wellington Fagundes, em audiência após tomarem posse no cargo, demonstra que o presidente regional do PR fincou bandeira em se tornar o principal interlocutor do governo Dilma com Mato Grosso.
 
“A infraestrutura logística e a agricultura e pecuária são peças fundamentais para o Estado. Sobretudo porque o desenvolvimento desses dois setores é que promove a geração de emprego e oportunidades para todos, ao pequeno, ao médio e ao grande”, argumentou Fagundes, para a reportagem do Olhar Direto, no encontro com a ministra Katia Abreu, que substituiu Neri Geller.
 
Fagundes, inclusive, foi o primeiro político a ser recebido pela ministra da Agricultura, após concorrida solenidade de posse, no pátio de estacionamento do Ministério. Após os cumprimentos, ela se reuniu com o parlamentar republicano por mais de 20 minutos em seu gabinete. “Foi um encontro em que reafirmamos as nossas preocupações  e estabelecemos as bases de como pretendemos trabalhar para que haja uma boa sintonia e colhamos melhores resultados” – explicou.
 
Wellington lembrou que o setor do agronegócio em Mato Grosso tem dado respostas efetivas ao Brasil, com grande progressão na defesa da economia nacional. Por isso, ele considerou respeitosa a postura da ministra Katia Abreu aos pleitos de Mato Grosso. “Vamos ter outros encontros e certamente vamos avançar ainda mais” – destacou. A ministra também pediu apoio da Frente Parlamentar de Logística de Transportes e Armazenagem da qual o senador eleito é coordenador.
 
No encontro que manteve com o novo ministro dos Transportes, Wellington também obteve respostas efetivas às preocupações com o desenvolvimento e melhoria das rodovias no Estado. O republicano disse ter ficado entusiasmado com a postura do ministro Antônio Carlos Rodrigues ao tratar, em seu discurso, da importância de se estabelecer um novo patamar logístico para o Brasil.
 
O novo ministro, que substitui Paulo Passos, destacou que os programas do Ministério dos Transportes deram significativa “melhora logística” ao transporte de cargas no país, oferecendo melhores condições de escoamento e distribuição da produção. “Além de derrubar os custos ao mercado e ter diversificado e ampliado a malha de transporte brasileira”, completou.
 
“Mato Grosso tem portas abertas neste ministério” – disse o ministro, ao tratar dos principais problemas logísticos do Estado. Nas próximas semanas, Antônio Carlos pediu novos encontros com Fagundes para tratar de forma mais aprofundada dos projetos envolvendo as várias rodovias federais. No encontro com o ministro Antônio Carlos Rodrigues participou também o deputado Eliseu Padilha (PMDB-RS), que substitui a Moreira Franco como ministro da Secretaria Nacional de Aviação Civil.

Publicidade Áudio

Enquete

Oque você mais deseja para o ano de 2020?

ALEGRIA

PAZ

FELICIDADE

PROSPERIDADE

SAÚDE

HUMANIDADE

RESPEITO

AMOR

DIGNIDADE

COMPAIXÃO

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE