Paranatinga, 30 de Março de 2020

Política

CPI DO PALETÓ

Ex-chefe de gabinete de Silval reafirma que repasses eram propina

Publicado 19/02/2020 14:00:54


BRUNO GARCIA E CÍNTIA BORGES
DA REDAÇÃO

O ex-chefe de gabinete Silvio César Correa reafirmou nesta quarta-feira (19) que o dinheiro dado a deputados no Palácio Paiaguás, durante a gestão do ex-governador Silval Barbosa, era mesmo propina.

 

Corrêa, que filmou os parlamentares recebendo dinheiro - entre eles o atual prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) -, voltou a prestar depoimento na CPI do Paletó da Câmara Municipal, durante a qual reiterou o que havia dito na primeira oitiva, no ano passado.

 

As imagens vieram à tona depois da delação premiada do grupo político de Silval Barbosa, em 2017.

 

  

Em relação ao dinheiro entregue em seu gabinete, Silvio informou que foi um acordo que teve com a Mesa da Assembleia Legislativa para pagar R$ 600 mil a cada deputado.

 

A respeito da participação de Emanuel no acordo, Silvio Corrêa declarou que o então deputado recebia R$ 50 mil mensalmente.

 

 

Teve um dia que me senti acuado, por isso resolvi gravá-los. A decisão de gravá-los foi minha. A pressão era diária. Se você atrasasse um dia, eles já ligavam

“Teve um dia que me senti acuado, por isso resolvi gravá-los. A decisão de gravá-los foi minha. A pressão era diária. Se você atrasasse um dia, eles já ligavam. Tanto que nesse dia, os deputados se reuniram para fazer pressão”, declarou Silvio.

 

Perguntado se Emanuel o havia pressionado, Silvio Corrêa disse não recordar, mas acreditar que não. 

 

Sobre se o dinheiro repassado para Emanuel Pinheiro seria para pagamento de pesquisa eleitoral, como prefeito alega, uma vez que seu irmão Marco Polo Pinheiro é proprietário de uma empresa de pesquisa, Silvio Corrêa foi direto: “Jamais”.

 

Quanto ao ex-secretário de Estado, Alan Zanatta, o depoente citou que não recebeu nenhum tipo de proposta financeira por parte dele. “Ele nunca pediu nenhum favor em nome do Emanuel Pinheiro”, disse.

 

Sobre o que teria sido tratado nas conversas com Alan Zanatta, Silvio Corrêa voltou a falar que estava em situação financeira difícil e buscou um empréstimo junto ao ex-secretário.

 

“A conversa é pública. Eu o chamei porque estava difícil. Depois que saí da prisão, três ou quatro meses depois, a gente teve a conversa. O empréstimo foi nessa conversa”, disse.

 

Silvio Corrêa afirmou ainda que só encontrou uma vez com Alan e pediu a ele R$ 6 mil.

 

“Eu só encontrei com Alan uma vez, pedi R$ 6 mil, mas quando fui conferir só tinha R$ 5,7 mil”, ao afirmar que se sentiu traído pelo Alan, que teria a intenção de prejudicar sua delação a Justiça.

 

 

Fonte: midianews

Publicidade Áudio

Enquete

Na sua opinião qual investimento é mais urgente para Paranatinga

CONCLUIR HOSPITAL MUNICIPAL

ASFALTAR BAIRROS

MELHORAR ILUMINAÇÃO

SINALIZAÇÃO DE TRANSITO E RUAS

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE