Paranatinga, 09 de Abril de 2020

Política

TRANSPORTE

Emanuel cita decisão “cruel” e vê ação política em meio à pandemia

Publicado 23/03/2020 14:29:07


CAMILA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

 

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) classificou como “insensível e cruel” a última decisão proferida pelo juiz Onivaldo Budny, plantonista do Fórum de Cuiabá, determinando que a Prefeitura de Cuiabá mantenha no mínimo 30% da frota do transporte coletivo em funcionamento para uso geral.

 

A decisão atendeu a uma ação ingressada pelo Estado para garantir que os serviços públicos essenciais à população continuem a funcionar durante o período de combate ao novo coronavírus. 

 

 

Na última sexta (20), o prefeito havia determinado a suspensão de 100% da frota na Capital, de modo a conter a proliferação da doença.

 

“Todos sabemos que os coletivos possibilitam a rápida propagação da doença. E meu embate é para evitar a disseminação do novo coronavírus. Como gestor, classifico como uma verdadeira violência, insensível e cruel a que estão submetendo a população cuiabana”, disse Emanuel, por meio de um vídeo divulgado nas redes sociais.

 

 

Como gestor, classifico como uma verdadeira violência, insensível e cruel a que estão submetendo a população cuiabana

“Vemos uma situação grave, de exceção. Uma emergência, já que estamos em plena pandemia”, acrescentou.

 

Ainda no vídeo, o prefeito sugeriu - ainda que sem citar nomes - que o governador Mauro Mendes (DEM), em um momento de pandemia, está se deixando levar por questões políticas e desentendimentos pessoais.

 

O que, na avaliação de Emanuel, poderá trazer prejuízos extremamente graves à população.

 

“Em momentos como o que enfrentamos, é preciso manter a serenidade e a visão de um estadista. É necessário deixar de lado paixões partidárias, simpatias ou antipatias pessoais. Ideologias ou conveniências eleitorais”, afirmou.

 

“Meu partido é a população cuiabana. Quase 700 mil cuiabanos estão esperando esta postura de seus líderes, mediante a projeção de um cenário incerto e devastador”, emendou.

 

Irá recorrer

 

O prefeito afirmou, também, que irá recorrer da decisão e pediu que, mesmo com a manutenção de 30% da frota, os usuários do transporte coletivo não usem os ônibus.

 

“Mantenho meu entendimento, meu cuidado com a saúde dos munícipes. E aviso: vamos recorrer contra qualquer medida que entendamos pôr em risco à saúde e a vida da população. Essa é a hora de priorizarmos a vida humana”, afirmou.

 

“O transporte público é importante, mas a vida humana é muito mais. A economia é importante, mas a vida humana é muito mais”, concluiu o prefeito.

 

 

Fonte: midianews

Publicidade Áudio

Enquete

Na sua opinião qual investimento é mais urgente para Paranatinga

CONCLUIR HOSPITAL MUNICIPAL

ASFALTAR BAIRROS

MELHORAR ILUMINAÇÃO

SINALIZAÇÃO DE TRANSITO E RUAS

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE