Paranatinga, 19 de Dezembro de 2018

Política

80 milhões

Custo de R$ 80 milhões com segurança assusta e empresas não fazem proposta para concessão da rodoviária

Publicado 04/12/2018 23:16:28


O custo de aproximadamente R$ 190 mil mensais com segurança, que totalizaria um valor em torno de R$ 80 milhões no fim do contrato, assustou as empresas interessadas em apresentar propostas para gerir a Rodoviária Shopping de Cuiabá. Com isto, a licitação para a concessão, que será de 25 anos, foi deserta. O objetivo é conseguir R$ 30 milhões em investimentos privados.
 
“Uma das reclamações foi o excesso de segurança que nós exigimos. Tudo que você pede de benefício para o cidadão, vira um custo para a empresa. É uma equação natural, há um conflito neste aspecto. Se você autoriza a empresa cobrar estacionamento, para ela é bom, para o cidadão fica pior e aqui não vai cobrar. Mas se autoriza a investir menos, será pior para a população”, explicou o secretário de Infraestrutura e Logística (Sinfra), Marcelo Duarte.
 
A segurança armada foi o principal peso para que a licitação desta terça-feira (04) desse deserta, segundo a avaliação da pasta. O custo mensal com este item é de R$ 190 mil mensais, o que daria algo em torno de R$ 80 milhões de custo para a concessionária no fim do contrato, que é de 25 anos.
 
“Nossa tarefa é acertar o ponto correto, ter um equilíbrio entre os benefícios ao cidadão e também criar uma situação de viabilidade para a empresa. Temos que andar neste limite, queremos maximizar no retorno à população. Não vamos entregar um bem para alguém que não tenha qualificação técnica, econômica. É um contrato para mais de 20 anos, tem que ser pensado e bem feito. Se o preço a pagar for esperar um pouco mais para melhorar, não é nada perto do tamanho do prejuízo que pode ser causado se fizer um acordo longo com uma empresa que não tem condições”, comentou o secretário.
 
Com a primeira tentativa fracassada, agora a pasta deverá republicar o edital exatamente como está, na esperança de que uma empresa se interesse. Caso isto não acontece, a equipe se reúne novamente e tenta fazer ajustes no plano.
 
“O cidadão precisa de uma obra rápida, serviços de baixo custo, mas com qualidade. Se não for acertado nesta gestão, temos certeza que será na próxima. Nos primeiros meses a concessionária terá que entregar o projeto executivo e os investimentos de R$ 30 milhões precisarão ser realizados em dois anos”, finalizou o secretário.
 
A concessão é resultado de um choque de gestão executado pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), com o objetivo de modernizar o atendimento ofertado à população, que, ao pegar ônibus intermunicipal, contará com mais segurança e conforto. 
 
A futura empresa vencedora do processo licitatório poderá explorar comercialmente o local pelos próximos 25 anos. A vencedora do certame terá como obrigação fazer melhorias significativa na estrutura da rodovia.
 
A licitação faz parte de um longo processo de melhoria da rodoviária, iniciado na atual gestão. Em novembro de 2017, o Governo de Mato Grosso contratou, emergencialmente, uma empresa para administrar a rodoviária. Desde então, foram investidos aproximadamente R$ 300 mil em uma série de ações que melhoraram a infraestrutura do terminal, principalmente em acessibilidade, limpeza e segurança para os usuários do transporte coletivo.

 

Fonte: Olhar Direto

Publicidade Áudio

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE