Paranatinga, 11 de Dezembro de 2017

Política

Bezerra aposta em aliança com PT e PCdoB para enfrentar Taques

PLANOS DO PMDB | 17/11/2017 09:39:36


presidente do PMDB, deputado federal Carlos Bezerra, afirmou que o partido não descarta parcerias com o PT e com o PCdoB para as eleições do próximo ano.

 

Ele destacou que novos nomes deverão ser a alternativa adotada pela oposição para disputar com o governador Pedro Taques (PSDB), possível candidato à reeleição.

 

Entre os nomes mencionados por Bezerra, como apostas da oposição, está o da professora Maria Lúcia Cavalli Neder, ex-reitora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), e pré-candidata do PCdoB ao Senado.

 

Bezerra comentou que o PMDB está se organizando para as eleições do próximo ano e definindo o projeto para as eleições.

 

Segundo ele, diferentemente do âmbito nacional, em Mato Grosso não há rusgas entre as legendas.

 

“Em Mato Grosso nós sempre estivemos próximos. Na última eleição, em 2014, apoiamos um candidato a governador do PT que foi o Lúdio Cabral. Aqui as forças populares do PMDB, PT e PCdoB sempre estiveram próximas”.

 

 

Aqui as forças populares do PMDB, PT e PCdoB sempre estiveram próximas

“Poderemos fazer dobradinhas. Eles têm bons nomes. Estamos aguardando definições dos outros partidos da oposição para definir os nomes que iremos apoiar”, completou.

 

“Nome novo leva vantagem, sem dúvida nenhuma. O povo quer votar em um novo nome. Há um desgaste muito grande dos políticos e existe um desejo muito grande de renovação”.

 

Ele destacou que a reitora da UFMT é uma das maiores apostas da oposição para o ano que vem.

 

“Ela é um nome novíssimo, nunca disputou nenhuma eleição. Além disso, é uma mulher, é inteligente e muito competente”, comentou.

 

Conforme Bezerra, outro nome novo que pode receber o apoio da oposição é o do conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado, Antônio Joaquim, que  deixou a carreira política desde que assumiu o cargo na Corte de Contas.

 

O membro afastado do TCE chegou a cogitar se filiar ao PMDB após a aposentadoria – que ainda não foi concedida –, porém acabou fechando acordo com o PTB e se filiará à sigla quando finalizar os procedimentos para a sua aposentadoria.

 

Além dos nomes tidos como novos, Bezerra destacou que o nome de Lúdio Cabral e o ex-senador Antero Paes de Barros também podem ser opções para a oposição a Taques.

 

“O próprio Lúdio Cabral, que perdeu a eleição e todo mundo sabe como perdeu. É muito viável. Outra opção também o nome do Antero, que perdeu uma eleição e todo mundo sabe como perdeu. O Antero é um nome que continua na ativa e pode ter repercussão. Acredito que todos esses nomes são viáveis para o ano que vem”, declarou.

  

“O nosso maior problema, agora, é encontrar um projeto adequado para Mato Grosso, diferente do que está aí”, completou.

 

Uma aliança com o PT e o PCdoB representaria uma trégua, em Mato Grosso, de uma rixa nacional. Pois os dois partidos acusam o  PMDB comandar o impeachement da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), considerado "golpe" pelos dois partidos.

 

 

Fonte: Midia News

FACEBOOK