Paranatinga, 19 de Novembro de 2017

Política

Após pressão, Governo repassa R$ 112 milhões a Poderes e MPE

REFORÇO EMERGENCIAL | 01/11/2017 15:57:29


O secretário chefe da Casa Civil, Max Russi, informou que o Governo do Estado fez um repasse emergencial aos Poderes na terça-feira (31) para o pagamento da folha dos servidores.

 

De acordo com o secretário, foram repassados aproximadamente R$ 62 milhões para o Tribunal de Justiça, R$ 28 milhões para o Ministério Público Estadual e R$ 22 milhões para a Assembleia Legislativa. Não foi informado o valor do repasse feito ao Tribunal de Contas do Estado. 

 

O compromisso que nós fizemos com os Poderes foi repassar o mínimo necessário para o pagamento das folhas e isso foi cumprido com Assembleia, Ministério Público e Tribunal de Justiça

“O compromisso que nós fizemos com os Poderes foi de repassar o mínimo necessário para o pagamento das folhas e isso foi cumprido com a Assembleia, Ministério Público e Tribunal de Justiça”, disse Max Russi.

 

Esse mínimo necessário foi estabelecido em reunião no último dia 26 entre o Executivo e presidentes dos Poderes. 

 

A reunião foi convocada após os representantes dos Poderes cobrarem o Executivo o repasse dos valores correspondentes aos duodécimos de 2017, atrasados desde agosto.

 

No total, a dívida do Governo com os Poderes somam mais de R$ 300 milhões.

 

Conforme o secretário, o débito restante será pago quando houver dinheiro no caixa.

 

Ele lembrou que o governador Pedro Taques viajou na segunda-feira (30) a Brasília para cobrar do Governo Federal repasses no montante de R$ 544 milhões, que poderão ajudar a equilibrar as contas do Estado.

 

Demais servidores

 

Com relação ao pagamento dos servidores do Executivo Estadual, o secretário admitiu a possibilidade de escalonamento da folha, como aconteceu no mês passado.

 

O pagamento de setembro foi feito de modo escalonado, sendo 78% em 10 de outubro e 22% no dia seguinte. O Governo alegou que teve de proceder desta forma em razão de dificuldades no fluxo de caixa.

 

“Nós admitimos a possibilidade do escalonamento do salário. Se nós não tivermos entrada de recursos novos até o dia 10, nós teremos dificuldade de honrar com o compromisso de toda folha. Esse é o desejo do governador de priorizar, mas nós teremos dificuldade com dinheiro para cumprir isso. E não podendo cumprir, vamos ver uma faixa salarial de quem ganha até R$ 4, R$ 5 mil para pagar todos esses que correspondem, mais ou menos, 80% dos servidores do Estado”, afirmou. 

 

Fonte: Midia News

FACEBOOK