Paranatinga, 26 de Setembro de 2018

Polícia

Vereador acusa colega de quebrar seu telefone; base quer enterrar CPI da Saúde

CASA DOS ARTISTAS | 10/07/2018 15:32:15


O “bate boca” marca mais uma sessão na Câmara de Vereadores de Cuiabá. Na manhã desta terça-feira (10), o alvo dos parlamentares foi o vereador Abílio Brunini Junior (PSC), acusado de “ingerências” na condução da CPI da Saúde, que investiga, entre outras irregularidades, a falta e superfaturameno de medicamentos em unidades públicas da capital.

No meio das discussões, o presidente da CPI pediu a palavra para se defender e também atacou. Ele acusou o vereador Marcrean Santos (PRTB) de quebrar seu aparelho de telefone celular quando tentava gravar uma fala do “colega”. 

Vereadores subiram a tribuna para acusar Abílio Junior de invadir setores da saúde e copiar  documentos “sem autorização e amedrontando os servidores”. O vereador Xavier (PTC), que também compõe a Comissão, criticou a forma de Abílio realizar as investigações e ameaçou encerrar a CPI caso o presidente não mude de comportamento. "Irei me reunir hoje ainda com o colega Ricardo Saad e pedir seu encerramento  da CPI, em função do estranho direcionamento que ela assumiu nessa fase de diligências. Contradiz, por completo, aquilo que propomos realizar em prol da população, ou seja: apurar 100% as denúncias nesse segmento, e assim tentar melhorar o atendimento público na Saúde. Desrespeitar regras e os servidores da Saúde não se inserem na proposta original da CPI", disse.

Neste momento, o presidente da CPI rebateu as acusações e anunciou que vai representar Xavier por “suspeita de ingerência”. Além disso, acusou Macrean Santos de quebrar seu celular, após a tentativar de gravar sua fala em plenário. “É de uma agressão tamanha”, lamentou.

CASA DOS ARTISTAS

Durante a confusão que se formou na Casa de Leis, o vereador Luís Claudio (PP) usou a palavra para cobrar o debate de ideias entre os parlamentares. Segundo ele, este tipo de situação faz o parlamento voltar a ser “deboche” diante da sociedade.

Recentemente, a Câmara notificou veículos de comunição para nao ser chamada de “Casa dos Horrores”. A situação gerou polêmica, já que o legislativo ameaçou processar os veículos que insistirem com tal nomenclatura. “Nós queremos tirar de nós isso e muitos querem de volta”, disparou Luís Cláudio. 

Em relação a condução do trabalho das investigações na Saúde, o progressista pontuou que a CPI “não julga ninguém, apenas investiga”. Porém, destacou que existem ritos e deveres a serem cumpridos da maneira decente. 

Ele pontuou que recebeu reclamações por parte dos servidores públicos sobre a forma como tem sido recolhidos documentos dos órgãos públicos em nome da CPI. “Não pode chegar lá, colocar um pend drive e ficar com sarcasmos porque é vereador. Tem vários BO (Boletim de Ocorrência) com suspeita de ingerência”, conta Luís Claudio. 

 

 

Fonte: FOLHAMAX

Rádios

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE