Paranatinga, 22 de Outubro de 2019

Polícia

NO INTERIOR

Polícia Civil fecha estúdio de tatuagem clandestino em Aripuanã

Publicado 21/04/2016 16:17:05


Um estúdio de tatuagem clandestino foi fechado no município de Aripuanã (1.002 km a Noroeste), durante a operação “Civil na Carga Máxima 2”, deflagrada pela Polícia Judiciária Civil, na terça-feira (19), para intensificar o combate a criminalidade em todo Estado de Mato Grosso.

 

O trabalho foi realizado pela equipe da Delegacia de Polícia de Aripuanã para cumprimento de um mandado de busca e apreensão domiciliar expedido pela Justiça.

 

Conforme o delegado, Vinícius de Assis Nazário, o imóvel em que funcionava o estúdio de tatuagens e piercings era investigado por estar possivelmente funcionando como ponto de venda de drogas. “Diante das suspeitas, foi representado pelo mandado de busca e apreensão domiciliar deferido pelo juízo competente”, destacou o delegado.

 

 

Com a ordem judicial em aberta, os policiais civis realizam buscas no estabelecimento, localizado no centro da cidade de Aripuanã. Durante a ação foi constatado que o profissional de 22 anos, mantida o estúdio de forma irregular. Ele não apresentou os documentos necessários para o exercício da atividade, como alvará de funcionamento, alvará sanitário e registro comercial.

 

 

No interior do estabelecimento, foram verificados vários itens com problemas relacionados a higiene, desinfecção e esterilização dos equipamentos, além de tintas sem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No ambiente precário, não havia pia para higienização das mãos.

 

 

Diante dos fatos, o responsável pelo estúdio foi conduzido à Delegacia de Polícia. Os materiais foram apreendidos e encaminhados para o serviço da Vigilância Sanitária do município, para análise. O jovem tatuador, de 22 anos, foi autuado no Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), pelo crime de expor a saúde de outrem a perigo, previsto no artigo 132 do Código Penal, com pena de detenção de um mês a um ano.

 

“O uso de tintas importadas, sem registro na ANVISA é proibido no Brasil. Portanto, a conduta do detido pode ser encaixada como crime”, destacou o delegado Vinícius de Assis Nazário.

 
 

Fonte: Mídia News

Publicidade Áudio

Enquete

Você é a favor ou contra privatização da MT 130 entre Primavera do Leste a Paranatinga

A FAVOR

CONTRA

INDEFINIDO

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE