Paranatinga, 18 de Setembro de 2018

Polícia

PM confirma ser o autor dos disparos que mataram empresário

MORTE EM BAILE | 11/04/2018 16:06:27


O policial militar Welliton da Silva Pereira confessou à Polícia Civil ter sido o autor dos disparos que mataram o empresário Rafael Henrique Santi, de 31 anos, no último domingo (8).

 

O relato do policial, que é cabo da Rotam (Rondas Ostensivas Tático Móvel), foi feito ao delegado Marcelo Jardim, da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na manhã desta quarta-feira (11).

 

Segundo seu advogado, Ricardo Monteiro, o policial relatou que na hora do crime estava conversando com um amigo no estacionamento da festa, quando viu uma movimentação, ouviu disparos e percebeu a presença de um homem armado.

 

“Ele percebeu que as pessoas estavam correndo. Logo, sacou a arma, se identificou como policial e pediu que o homem abaixasse a arma. Porém o homem apontou para ele”, disse Monteiro.

 

 

 

Ele percebeu que as pessoas estavam correndo do local. Logo, ele sacou a arma, se identificou como policial, e pediu para o homem abaixasse a arma, que apontou a arma para ele

Segundo seu advogado, o soldado disse que apenas seguiu o treinamento que recebeu na corporação. “Polícia! Larga a arma”,  teria dito para Santi. Apesar do alerta, ainda segundo o advogado, o empresário teria apontado a arma em sua direção. O policial então disparou duas vezes.

 

No interrogatório o soldado declarou que tentou acionar o Samu, mas acabou deixando o local após pressentir que corria risco de vida se permanecesse. 

 

O cabo ligou para a Polícia Civil logo na segunda-feira (9), informando que iria se apresentar. 

 

Conforme a Polícia Civil, duas armas apresentadas pelo policial (um revólver calibre 38, sem numeração aparente, que teria sido usado por Rafael, e uma pistola 840, de uso do soldado) serão encaminhadas para a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec).

 

Além do interrogatório do autor dos disparos, quatro testemunhas serão formalmente ouvidas na delegacia.

 

“Eventual legítima defesa ou excesso por parte do policial serão apurados no curso da investigação para a devida apreciação do Ministério Público e Judiciário”, explica o delegado Marcelo Jardim.

 

Inquérito Policial

 

 

Um inquérito disciplinar foi aberto para que fosse apurada a conduta do soldado no início desta semana.

 

O caso

 

O empresário Rafael Henrique Santi, de 32 anos, foi morto a tiros em um baile funk realizado na "Chácara das Poderosas", em Várzea Grande, na madrugada de domingo.

 

O empresário chegou a socorrido e levado até o Hospital e Pronto-Socorro de Cuiabá, mas não resistiu aos ferimento e morreu.

 

 

Fonte: Mídia News

Rádios

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE