Paranatinga, 18 de Setembro de 2018

Polícia

Mulher é presa após comprar carro roubado na internet

INGENUIDADE | 06/04/2018 22:19:59


Duas irmãs foram conduzidas a Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Veículo Automotor (Derrfva) por suspeita de receptação, uso de documento falso e adulteração de um veículo comprado na internet.  

O automóvel Prisma, preto, foi apreendido pelos investigadores, na quinta-feira (05.04). Uma das mulheres, J.C.G, 26 anos, foi autuada em flagrante. O carro foi roubado no dia 21 de março deste ano, em Várzea Grande, e era ofertado por R$ 10 mil em um site de compra e venda.

O veículo foi abordado nas proximidades do Shopping Pantanal, na capital. Durante averiguação, os policiais observaram que faltavam alguns itens de identificação do carro, levantando suspeita de ser produto de crime. Em checagem no sistema Detrannet, foi constatado que a placa não correspondia ao chassi do automóvel.

O documento apresentado também estava adulterado. Foi constatado que se tratava de documento falsificado em cima de uma cédula furtada da Ciretran de Rosário Oeste (128 km a Oeste), ocorrido no dia 21 de dezembro de 2017. No porta-malas, os policiais encontraram um jogo de calotas originais do veículo, sugerindo que foram trocadas.

A proprietária do veículo, J.C.G, alegou que comprou o carro em uma site pagando apenas R$ 10 mil. A mulher também contou que não pegou nenhum recibo e não conhece a pessoa que lhe vendeu o automóvel. Ela ainda disse que não fez nenhuma consulta para saber a procedência do veículo ou mesmo se haveria alguma multa.

O delegado Marcelo Martins Torhacs, disse que tem aumentado o comércio ilícito de veículos na internet e os compradores precisam tomar algumas medidas antes de fechar o negócio. “Orientamos que os interessados façam minuciosa checagem do veículo, especialmente pela visualização da numeração do chassi, no veículo, objetivando evitar adquirir veículos roubados. As quadrilhas tem trocado apenas as placas de identificação e falsificado documentos (licenciamento e/ou CRV)”, disse.

Conforme o delegado, é importante condicionar a aquisição à checagem do veículo, caso contrário, o novo proprietário, ao receber veículo produto de crime, estará sujeito a ser preso.

 

Fonte: Folha Max

Rádios

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE