Paranatinga, 14 de Novembro de 2018

Polícia

Garota de programa é morta a pedradas; Polícia prende travesti

CRIME BRUTAL | 25/10/2018 09:01:28


 

Uma mulher identificada como Elciwany Rocha da Mata, de 43 anos, foi brutalmente assassinada na madrugada desta quinta-feira (25), no Bairro CPA 3, em Cuiabá.

 

A principal suspeita de cometer o crime é uma travesti, que acabou presa em flagrante, após ter inventado que a vítima tinha sido morta por quatro homens.

 

Segundo consta no boletim de ocorrência, Elciwany foi encontrada nos fundos de um ginásio abandonado do bairro.

 

Conforme a Polícia Civil, durante atendimento da ocorrência uma travesti que estava no local se apresentou como testemunha do crime. Ela apresentava as mãos sujas de sangue e justificou que havia tentado reanimar a vítima.

 

Versão de suspeita

 

Segundo  ela, as duas estavam ingerindo bebidas alcóolicas e usando drogas, quando cinco homens se aproximaram delas, sendo que ela foi para um canto do ginásio com um, e Elciwany ficou com os outros quatro.

 

Pouco tempo depois, ela relatou que ouviu a amiga pedir por socorro e correu até o seu encontro.

 

Quando ela chegou, encontrou os quatro homens apedrejando a vítima. A testemunha conta que ainda tentou socorrer a amiga, mas os homens a ameaçaram e disseram que se ela se aproximasse também seria morta.

 

Após a sessão de espancamento, os agressores fugiram.

 

A vítima estava com as mãos sujas de sangue e informou que seria porque tentou reanimar Elciwany. Uma ambulância do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionada e constatou a morte dela.

 

Contradições

 

Com a chegada da equipe da Polícia Civil (DHPP) a travesti começou a iniciar uma série de contradições – que a vítima estava atendendo 04 clientes ao mesmo tempo, depois que era um apenas, etc. Também apresentou nome falso aos policiais e foi conduzida a delegacia para esclarecimentos.

 

Na unidade policial ela foi identificada com o nome de registro de Adelmar de Carvalho Amorim, 31, (nome social: “Michele Latrocínia”). Ela possui ao menos seis passagens criminais, incluindo roubos, ameaças e um homicídio anterior.

 

Durante o procedimento de interrogatório, a travesti acabou confessando o crime e disse que apedrejou a vítima por desentendimento referente a compra de entorpecentes. Michele declarou que havia dado dinheiro para que a colega comprasse drogas para ambas, o que não veio a ocorrer.

 

A travesti foi autuada em flagrante pela delegada Jannira Laranjeira pelo crime de homicídio qualificado. Após os procedimentos de praxe na delegacia e recolha de material a ser periciado, Michele será encaminhada para audiência de custódia, no Fórum da Capital.

 

 

Fonte: Mídia News

Rádios

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE