Paranatinga, 13 de Dezembro de 2017

Polícia

Falso nutricionista atraía clientes pelas redes sociais em Cuiabá

Delegacia do Consumidor diz que ele cobrava até R$ 600 para fazer acompanhamento

DIPLOMA FALSO | 29/09/2017 21:42:01


A Polícia Civil identificou um jovem que atuava ilegalmente como nutricionista em Cuiabá. Ele foi interrogado pela Delegacia do Consumidor.

 

K.D.Q., de 27 anos, é aluno do curso de Nutrição em uma universidade e se passa por profissional nas redes sociais, vendendo os seus serviços como fosse formado para a função.

 

As investigações começaram com a representação do Conselho Regional de Nutricionista de que o jovem estava exercendo ilegalmente a profissão, uma vez que ainda era apenas acadêmico.

 

Segundo a denúncia, ele fazia atendimentos no seu apartamento, cobrando o valor de R$ 300 pela consulta ou R$ 600 para acompanhamento nutricional pelo período de 6 meses.

 

Diante da denúncia, a Decon realizou diligências e na tarde de quinta-feira (28), o falso nutricionista foi identificado, qualificado e formalmente interrogado pelo delegado titular, Antonio Carlos de Araújo. Ele confessou o crime e deu detalhes de como falsificou o documento.

 

Segundo Araújo, K.D.Q. é fisiculturista e usava o esporte como facilitador para contatar clientes dentro de academias e fazer a venda dos seus planos alimentares e de atendimento nutricional, além de divulgações dos serviços através de redes sociais.

 

Ele chegou a dar entrevista para um site da Capital, falando sobre a importância da formação em nutrição e sobre os atendimentos realizados em seu apartamento.

 

“Como usava as redes sociais para divulgar o seu trabalho, o suspeito começou a receber vários questionamentos, se era realmente formado em nutrição. E decidiu falsificar um diploma, através do diploma de uma outra pessoa, que é formada pela mesma universidade. Usufruindo do logotipo, ele alterou os dados do documento, colocando o nome dele como se tivesso colado grau no curso de nutrição no ano de 2016”, explicou o delegado.

 

Foi instaurado inquérito policial, em que o falso nutricionista responderá pelos crimes de exercício ilegal da profissão de nutricionista, falsificação de documento de certificado de conclusão de curso e uso de documento falso.

 

“Como não estava em situação de flagrante, ele foi interrogado e responderá pelas condutas em inquérito. Ele confessou todos os crimes, discorrendo os motivos e citando outra pessoa, que será investigada a sua participação”, destacou Araújo.

 

Fonte:

FACEBOOK