Paranatinga, 23 de Fevereiro de 2017

Polícia

Bebê recebe alta, mas continua com duas agulhas na cabeça

AGULHAS | 16/02/2017 17:54:15


A bebê de três meses que estava internada desde dezembro na Santa Casa de Rondonópolis, por causa de agulhas de metal introduzidas em seu corpo, teve alta nesta semana.

 

A informação de que a menina deixou a unidade hospitalar - para ficar na casa da avó materna - foi confirmada nesta quinta-feira (16) pela assessoria de imprensa do hospital filantrópico. 

 

Ainda segundo a assessoria, das quatro agulhas introduzidas no corpo da menina, os médicos conseguiram remover a do ouvido e metade de outra que estava na região do tórax.

 

A bebê ainda tem duas agulhas na cabeça e a outra metade da que quebrou no tórax.

 

A bebê foi internada no dia 12 de dezembro e passou por várias cirurgias na tentativa de retirada das agulhas e outros procedimentos médicos.

 

Durante o período de internação, os relatórios médicos avaliavam a menina com boa evolução clínica, respirando sem necessidade de oxigênio, se alimentando via oral e com movimentação de todos os membros.

 

A assessoria não soube informar se a menina iria precisar de outros precedimentos cirúrgicos ou algum tipo de acompanhamento pós-operatório.  

 

De acordo com informações da Polícia Civil, ela teria sido submetida a um suposto ritual de magia negra na cidade de São Pedro da Cipa (148 km de Cuiabá) em dezembro do ano passado. 

Reprodução

agulhas

Quatro agulhas de metal foram introduzidas no corpo da menina, uma na região do tórax e três na cabeça

 

Cinco pessoas foram indiciadas por corrupção de menores e tentativa de homicídio qualificado contra a bebê. A mãe da criança, que tem 17 anos, vai responder a ato infracional.

 

O caso

 

A Polícia Civil de Jaciara foi acionada pelo Conselho Tutelar no dia 12 de dezembro sobre o fato que teria acontecido na véspera. 

 

Os conselheiros receberam denúncia da equipe médica do Hospital Municipal de Jaciara sobre suspeita de maus tratos contra a criança.

 

O pai da menina W.J.C., 28, é suspeito de aceitar receber o valor de R$ 250 para submeter a filha ao ritual, que foi conduzido por I.Q.S., 42, presa no mesmo dia, em São Pedro da Cipa.

 

Foram presos também D.Q.S. e R.C.S., filha e genro de I.Q.C., respectivamente.

 

 

Fonte: Mídia News

FACEBOOK