Paranatinga, 15 de Outubro de 2018

Polícia

A dor é diária, diz médica que atropelou e matou verdureiro

NO INSTAGRAM | 10/10/2018 10:24:23


 

A dermatologista Letícia Bortolini, acusada de atropelar e matar o verdureiro Francisco Lúcio Maia, de 48 anos, em abril deste ano, em Cuiabá, fez um desabafo no Instagram onde relatou "sofrer diariamente" após o caso. 

 

O caso ocorreu na noite do dia 14 de abril, na Avenida Miguel Sutil, quando a médica e o marido voltavam de uma festa “open bar”. 

 

Em vídeos curtos postados no stories da página da clínica onde trabalha, nessa terça-feira (9), a dermatologista falou sobre queda de cabelo e a "dor diária" que sente desde o atropelamento.

 

“As pessoas pensam que a gente não sofre, só porque a gente continua trabalhando, mas o sofrimento é enorme. A dor é diária”, afirmou a dermatologista. (Veja vídeo abaixo)

 

 

As pessoas pensam que a gente não sofre, só porque a gente continua trabalhando, mas o sofrimento é enorme. A dor é diária

A médica conta que está com “eflúvio telógeno”, condição dermatológica em que o cabelo enfraquece e cai após um evento traumático.

 

Ela relata que já teve queda de cabelo após o nascimento do filho, há dois anos. 

 

“Pois é, estou 'tristinha' assim, porque depois do parto do meu filho, que faz exatamente dois anos, tinha melhorado e meu cabelo tava enchendo de novo, mas esse ano eu tive um problema muito grande. Não tem como não dar um reflexo no organismo da gente, um trauma tão grande como eu sofri”, contou.

 

Essa é a primeira vez que Letícia se manifesta publicamente sobre o caso. 

 

Em abril, quando o caso ocorreu, a médica evitou a imprensa e se pronunciou apenas por meio de seus advogados.

 

Em setembro, o juiz Flávio Miraglia, da 12ª Vara Criminal de Cuiabá, recebeu a denúncia do Ministério Público Estadual (MPE) e a médica figura como ré pelos crimes de homicídio, omissão de socorro e embriaguez ao volante.

 

Veja vídeo:

 

 

 

O caso

 

Francisco morreu enquanto tentava atravessar a Avenida Miguel Sutil com seu carrinho de verduras, por volta das 20h do dia 14 de abril.

 

Uma pessoa que presenciou o acidente foi atrás do casal e viu o momento em que o carro entrou em um condomínio no Jardim Itália. 

 

A Polícia Civil foi acionada e a médica autuada por homicídio culposo no trânsito e omissão de socorro.

 

Marido e mulher apresentavam sinais de embriaguez, segundo a Polícia.

 

A médica chegou a ter prisão preventiva decretada, mas foi solta após conseguir um habeas corpus.

 

Fonte: Mídia News

Rádios

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE