Paranatinga, 20 de Novembro de 2019

Mundo

NA VENEZUELA - Nos jogaram nas mãos de delinquentes pagos pelo Governo

Publicado 21/06/2015


MIDIA NEWS 

O senador mato-grossense José Medeiros (PPS)criticou a atuação do embaixador do Brasil na Venezuela, Rui Pereira, que, segundo ele, teria abandonado a comitiva de senadores brasileiros, na última quinta-feira (18), durante viagem à Caracas. 

Na ocasião, a comitiva, formada por oito senadores brasileiros, tentava realizar uma visita a Leopoldo Lopez, líder do partido Vontade Popular e que foi preso por atuar como líder de oposição ao Governo do presidente venezuelano, Nicolás Maduro. 

O grupo, no entanto, foi alvo da ação de manifestantes que apoiam o Governo Maduro. 

“Os transtornos começaram logo na chegada à Venezuela, ficamos trancados dentro do avião por quase uma hora. Em seguida, fizeram um tour ao redor do aeroporto, tentando tirar a comitiva do caminho da imprensa. Depois, quando nos dirigíamos ao presídio, fomos levados para vias que haviam sido previamente fechadas pelo Governo”, afirmou Medeiros, em um vídeo divulgado à imprensa. 
 

"Fomos atacados por manifestantes e abandonados à própria sorte pelo Governo brasileiro. Notadamente, a mensagem que chegou foi clara: mandaram que o embaixador nos abandonasse, deixando a comitiva inteira nas mãos dos delinquentes bem pagos e bem orientados pelo Governo da Venezuela"

“Fomos atacados por manifestantes e abandonados à própria sorte pelo Governo brasileiro. Notadamente, a mensagem que chegou foi clara: mandaram que o embaixador nos abandonasse, deixando a comitiva inteira nas mãos dos delinquentes bem pagos e bem orientados pelo Governo da Venezuela”, disse o senador. 

Além de Medeiros, integravam a comitiva os senadores Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), Aécio Neves (PSDB-MG), Sérgio Petecão (PSC-AC), Ricardo Ferraço (PMDB-ES), José Agripino (DEM-RN) e Ronaldo Caiado (DEM-GO). 

De acordo com relatos dos parlamentares, cerca de 100 pessoas participaram do bloqueio. Elas chegaram a atirar pedras contra o veículo que transportava os senadores brasileiros. 

O senador José Medeiros ainda lamentou o ocorrido afirmando que a visita não ocorreu em razão do “autoritarismo” do Governo venezuelano. 

“Infelizmente, não conseguimos fazer nosso trajeto. Isso, em virtude do autoritarismo do Governo da Venezuela, que impediu o Senado Brasileiro de visitar os presos e prestar solidariedade ao povo venezuelano”, afirmou. 

“Além disso, infelizmente, o Governo brasileiro, através da embaixada, não ajudou em nada a delegação. O que foi ofendido hoje não foram os senadores que estiveram aqui, foi o Congresso Nacional, o Senado Federal e o povo venezuelano, vítima desse Governo autoritário que está de plantão”, disse Medeiros. 

Atividades

Entre as atividades previstas para a missão dos senadores no país, estava um ato com as esposas de políticos presos e a defesa, junto aos meios de comunicação venezuelanos, da liberdade e da democracia. 

A comissão externa foi criada com base no Requerimento 77/2015, de autoria do senador Ricardo Ferraço, aprovado no Plenário do Senado, em fevereiro deste ano.

“Manifestação incivilizada” 

Em nota lida no plenário após o ocorrido, o presidente do Senado, Renan Calheiros, anunciou que irá cobrar uma reação altiva do Governo quanto aos gestos de intolerância narrados pela comitiva de brasileiros. 

"As democracias verdadeiras não admitem conviver com as manifestações incivilizadas e medievais. Elas precisam ser combatidas energicamente para que não se reproduzam”, afirmou. 

Publicidade Áudio

Enquete

Oque você mais deseja para o ano de 2020?

ALEGRIA

PAZ

FELICIDADE

PROSPERIDADE

SAÚDE

HUMANIDADE

RESPEITO

AMOR

DIGNIDADE

COMPAIXÃO

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE