Paranatinga, 25 de Setembro de 2018

Mato Grosso

Taques critica gestões passadas após morte de recém-nascido por falta de UTI

UTI | 29/03/2018 20:47:17


O governador Pedro Taques (PSDB) afirmou, na manhã desta quinta-feira (29), que o Hospital Regional de Peixoto de Azevedo (673 km de Cuiabá), em que um recém-nascido morreu por falta de leito em UTI neonatal, está passando por uma reforma por determinação de sua gestão. Na opinião do governador, embora nada justifique a morte da criança, as pessoas devem questionar o fato de as gestões passadas não terem investido em melhorias na unidade hospitalar.

“Eu não vou fazer política com criança que morreu na UTI, nenhuma justificativa, nenhum argumento vai fazer com que esta criança possa voltar a sua vida. Eu só quero lembrar que, apesar dessa morte triste dessa criança nós, em três anos e dois meses, instalamos 304 UTI’s no Estado de Mato Grosso. O Estado banca 500 UTI’s”, afirmou o governador, em entrevista à Rádio Capital FM.

“Quem regionalizou o hospital em Peixoto de Azevedo foi esse governador que vos fala. Este hospital está em reforma, nós é que estamos reformando. Nada justifica a morte dessa criança, por mais que o Estado se faça presente, só Deus pode confortar a família. Não vamos fazer proselitismo político. Mas a pergunta que tem que ser feita é por que não fizeram antes, por que só estamos fazendo agora?”, questionou Pedro Taques, comparando mais uma vez a sua administração à do ex-governador Silval Barbosa.

O pequeno Henry, nascido no último dia 26, morreu na manhã da última quarta-feira (28). Ele nasceu com dificuldades respiratórias e a equipe médica do hospital fazia manualmente sua ventilação, já que não havia ventilador automatizado.

O promotor Marcelo Mantovani Beato, que tentava ajudar a família da criança, havia encaminhando ao Ministério Público um documento solicitando urgentemente um leito de UTI neonatal. O pedido de tutela de urgência havia sido deferido pelo Poder Judiciário, no entanto, o leito não foi providenciado.

Além da entrevista de Taques, o Governo do Estado se manifestou oficialmente por meio de nota sobre o falecimento da criança. Confira abaixo:

O Governo do Estado de Mato Grosso lamenta a morte do recém-nascido Henry, ocorrida nesta quarta-feira (28.03), na cidade de Peixoto de Azevedo. Henry nasceu no dia 26.03 em Guarantã do Norte e foi transferido no mesmo dia para o Hospital Regional de Peixoto de Azevedo devido a um problema respiratório. Naquela unidade hospitalar, o recém-nascido foi imediatamente entubado e o médico solicitou a internação dele em uma UTI neonatal nos hospitais da região. A Secretaria de Estado de Saúde tentou, sem sucesso, uma vaga em UTI neonatal no hospital de Tangará da Serra.

A UTI aérea foi acionada para fazer a transferência assim que fosse possível obter uma vaga em UTI neonatal. No entanto, o quadro respiratório se agravou e o recém-nascido faleceu às 6h30 desta quarta-feira, antes de sua transferência para outra unidade hospitalar.

A Secretaria de Estado de Saúde informa que atualmente cerca de 550 leitos de UTI recebem financiamento do Governo do Estado e que suas equipes realizam um rastreamento intenso em busca de leitos vagos de UTI sempre que há demandas reguladas. Entretanto, ainda existe no Estado um gargalo de ofertas de leitos de UTIs, principalmente infantil e neonatal.

A Secretaria de Estado de Saúde ressalta ainda que não tem medido esforços para melhorar a rede pública de saúde e tem colaborado com as prefeituras no custeio de UTIs, média e alta complexidade, atenção básica, farmácia e Unidades de Pronto Atendimento (UPA).

 

Fonte: OLHAR DIRETO

Rádios

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE