Paranatinga, 11 de Dezembro de 2017

Mato Grosso

Com missão de pegar tubarões do crime PF abriu 31 operações este ano

POLICIA FEDERAL | 20/11/2017 14:45:10


fama vai além dos casos que resolvem e dos filmes de cinema: está no imaginário criado ao redor de suas misteriosas atividades. Para aumentar a emoção na próxima vez que for brincar de “detetive”, vamos mostrar um pouco da Polícia Federal, que comemorou o seu dia nesta semana. Ela atua em todo território nacional e só pega "peixe grande". Há quem diga que tem muita gente que nem anda dormindo, com medo de acordar com os “caras” na porta.

É uma profissão estressante, sem dúvidas. O agente de polícia, dentro de toda a estrutura de segurança pública, está entre aqueles profissionais que se posicionam em situação mais vulnerável. E esta vulnerabilidade apresenta-se de duas maneiras distintas, mas que se relacionam entre si. Como atua no planejamento, na investigação e execução das operações policiais, o agente é, entre os demais integrantes da polícia federal, quem mais expõe sua vida ao risco, assim como sua carreira.

“Manter a lei e a ordem para a preservação da segurança pública, no Estado Democrático de Direito, cumprindo as atribuições constitucionais e infraconstitucionais, mediante estratégias, no exercício das funções de polícia administrativa e judiciária”. Este é o lema da instituição.

É com esta missão que a Polícia Federal se destaca como organização, primando pela consecução de seu objetivo. Daí a importância de se enaltecer e valorizar aquele que faz o órgão. Fazer parte desta equipe não é nada fácil. Têm agentes que passam anos estudando para conseguir o grande prazer de fazer parte de uma equipe como esta.

Assessoria

 

Investigador Paulo Gomes diz que é preciso vibrar para ser PF ou  escolher outra profissão

O treinamento da PF é diferente do aplicado a todas as polícias, pois eles são preparados para, na linguagem popular, farejar "tubarão" e não "peixe pequeno". Todas as grandes investigações que se têm notícias tem participação da Polícia Federal, e se a Polícia Civil ou Militar fazem grandes prisões de traficantes nacionais pode ter certeza que a PF esta por trás oferecendo informações e parte de investigações cruciais.

Neste ano em Mato Grosso, foram realizados até o momento 31 operações, sendo cinco conduzidas pela delegacia de Barra do Garças, uma em Cáceres, seis em Sinop e 19 por Cuiabá. A PF em MT somente se tornou uma superintendência em 1980. Segundo o investigador Paulo Gomes, o trabalho é árduo, mas compensa. “Vamos fazer sempre a nossa parte para não deixar que certas coisas prejudiquem o nosso trabalho. A nossa parte estamos fazendo e esperamos que a população apoie e não ache que o policial seja um inimigo”, pondera. 

Ele destaca ainda que o mais importante na carreira é o policial conseguir se especializar em uma atividade que proporcione a conjugação dos desafios profissionais e das expectativas pessoais. “Costumo sempre dizer que aqueles que buscam o ingresso na carreira policial devem se perguntar: Estou buscando um trabalho ou um emprego? Se a resposta for simplesmente a busca de um emprego, o que tenho a dizer é que ele não deve persistir em ser um policial, pois a profissão tem que te fazer vibrar”, afirma.

Assessoria

 

Escrivão Rafael Ranalli destaca que característica mais interessante é ausência de rotina

O escrivão Rafael Ranalli destaca que talvez a característica mais interessante em algumas atividades desenvolvidas pelo agente de polícia federal seja justamente a ausência de uma rotina específica. “Dependendo da área em que o policial se especialize, a adaptabilidade e a versatilidade são características fundamentais. Algumas vezes costumamos dizer que nossa rotina é "não termos rotina", fala.

Estrutura

O Departamento de Polícia Federal (DPF) ou simplesmente Polícia Federal (PF) é um órgão subordinado ao Ministério da Justiça, cuja função é, de acordo com a Constituição de 1988, exercer a segurança pública para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

A Polícia Federal, de acordo com o artigo 144, parágrafo 1º da Constituição Brasileira, é instituída por lei como órgão permanente, organizado e mantido pela União e estruturado em carreira. Atua, assim, na clássica função institucional de polícia.

Em 2017, o orçamento da PF-MT foi da ordem de R$ 12 milhões, para custeio da máquina, pagamento de diária e dos contratos. Já os salários vêm do orçamento da União. Hoje, o efetivo conta com 300 servidores, incluindo os colaboradores terceirizados.

 

 

 

Fonte: RDnews

FACEBOOK