Paranatinga, 12 de Dezembro de 2017

Mato Grosso

"As dificuldades são as maiores possíveis", diz chefe da Casa Civil sobre pagamento de salários

SALÁRIOS SERVIDORES | 10/10/2017 23:02:31


O secretário-chefe da Casa Civil, Max Russi (PSB), afirmou que o governo do Estado trabalha com a meta de quitar até amanhã, 11, o resto do salário do funcionalismo público de Mato Grosso, mas que ainda não há certeza de que haverá dinheiro em caixa para isso.
 
“Tivemos uma baixa dos repasses federais desse ano substancial e isso está impactando”, afirmou o Russi. Nesta terça-feira (10), no começo da tarde, os aposentados e pensionistas começaram a receber. Depois das 19h, começam a ser creditados os valores nas contas do pessoal da ativa das Secretárias de Educação, Saúde e Segurança. O restante está previsto só para amanhã, segundo a Secretaria de Fazenda.
 
“O desejo e o objetivo nosso é quitar amanhã, não podemos afirmar 100%, porque a gente depende da vinda de alguns recursos”, afirmou o secretário, com cautela. “Estamos trabalhando para isso, o secretário Gustavo [Oliveira], da Fazenda, está trabalhando para isso e quero crer eu que a gente terá condição de amanhã ou nos próximos dias estar quitando o restante”, completou.
 
Responsável pela articulação política do governo, Max Russi acredita que o atraso no pagamento não deve acirrar ainda mais os ânimos com os servidores públicos, que ameaçam até fazer greve contra a PEC do Teto de Gastos. “Precisamos ser cada vez mais dinâmicos, conversar bastante e mostrar a intenção do governo, como eu disse, esse é um governo muito bem intencionado, é um governo de muitas realizações e até o final do próximo ano vai entregar ainda muita coisa ao cidadão mato-grossense”.  
 
“Herança maldita”
  
Para tentar explicar os problemas financeiros do Estado, o novo chefe da Casa Civil lembra a gestão passada. “As dificuldades são as maiores possíveis. Primeiro, nós pegamos um governo em que o governo anterior arrebentou com o Estado, aprovou e deixou uma série de bombas programadas para estourar no governo Pedro Taques e isso é reflexo disso, além disso passamos pela maior crise da história do país e o governador nesse momento está tomando medidas importantes”.
  
A assessoria de imprensa da Secretaria de Fazenda explica que nesta terça-feira, o governo liquida 78% da folha total de setembro, que soma R$ 461,54 milhões.  A folha das secretarias de Educação, Saúde e Segurança, as três prioritárias, somam R$ 215,202 milhões, sendo que essas unidades orçamentárias possuem o maior contingente de pessoal do Executivo.
 
Do total da folha de setembro, R$ 300,33 milhões correspondem ao pessoal da ativa. Outros R$ 161,20 milhões são dos aposentados e pensionistas e R$ 9,35 milhões dos servidores das autarquias. Esses últimos são regidos pela Constituição das Leis do Trabalho e receberam na sexta-feira (6).
 
Os salários estarão creditados nas respectivas contas nos horários já mencionados, mas os saques nos caixas eletrônicos poderão ser feitos a partir das 8 horas desta quarta-feira (11), segundo informou o Banco do Brasil. 

Fonte: Olhar Direto

FACEBOOK