Paranatinga, 21 de Janeiro de 2018

Mato Grosso

Ano marcou a morte de grandes personalidades mato-grossenses

RETROSPECTIVA | 25/12/2017 17:10:59


As mortes de personalidades relacionadas à política mato-grossense comoveram o Estado durante 2017.

 

Ao longo do ano, Cuiabá se despediu de personalidades históricas, que colaboraram de diversas formas para o desenvolvimento da região.

 

Entre as personalidades mato-grossenses que morreram em 2017 estão o jornalista Jorge Moreno, o ex-prefeito de Cuiabá, Aecim Tocantins, a ex-prefeita de Várzea Grande, Sarita Baracat, e o ex-governador Pedro Pedrossian.

 

Conheça um pouco mais sobre as histórias das personalidades de Mato Grosso que morreram neste ano:

 

Jorge Bastos Moreno

 

Um dos mais importantes jornalistas de política do Brasil, Jorge Bastos Moreno morreu em 14 de junho, em razão de um edema pulmonar agudo, decorrente de problemas cardiovasculares. Moreno morreu no Rio de Janeiro, aos 63 anos.

 

Nascido em Cuiabá, no dia 23 de abril de 1954, o jornalista cursou jornalismo na Universidade de Brasília. Em seu primeiro semestre de curso, tornou-se repórter policial.

 

O primeiro furo jornalístico dele aconteceu durante o período da ditadura militar. Ele informou que o general João Figueiredo se tornaria o novo presidente do Brasil, em substituição ao também general Ernesto Geisel.

 

Ao longo de sua carreira, o profissional trabalhou em diversos veículos, entre eles o jornal O Globo, a rádio CBN, o Canal Brasil, entre outros.

 

Entre os prêmios que ganhou ao longo de sua carreira, destaca-se o Esso de Informação Econômica, em 1999.

 

A premiação foi concedida em razão da notícia sobre a queda do então presidente do Banco Central, Gustavo Franco, e a desvalorização do real.

 

Aecim Tocantins

 

Outra personalidade que morreu neste ano foi o ex-prefeito de Cuiabá, professor Aecim Tocantins. Ele faleceu em 18 de junho, aos 94 anos, em Cuiabá.

 

Tocantins havia sido acometido por uma pneumonia, seguida por distensão intestinal, e não resistiu a um procedimento cirúrgico.

Reprodução

 

Ex-prefeito de Cuiabá, Aecim Tocantins morreu aos 94 anos, na Capital mato-grossense

 

Aecim Tocantins era contador. Na política, foi vereador por Cuiabá e presidente da Câmara da capital. Por duas vezes, ocupou o cargo de prefeito de Cuiabá.

 

Foi secretário de Interior, Justiça e Finanças do Governo do Estado, secretário-chefe da Casa Civil e conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

 

Ele nasceu em Cuiabá, em 8 de junho de 1923, e formou-se em contabilidade pela Escola do Comércio do Rio de Janeiro. Além de exercer a profissão, por muitos anos, foi professor.

 

No fim da década de 70, Aecim Tocantins foi indicado pelo governador José Garcia Neto para defender os interesses de Mato Grosso na Comissão Especial de Divisão do estado, que levou à criação, por parte do Governo Federal, do estado de Mato Grosso do Sul.

 

Pedro Pedrossian

 

O ex-governador Pedro Pedrossian morreu em 22 de agosto, aos 89 anos, em Campo Grande (MS), em decorrência de uma insuficiência respiratória.

 

Sua primeira gestão como chefe do Executivo do Estado ocorreu no período de 1966 a 1971, época anterior à divisão de Mato Grosso.

 

Em 1978, ele foi eleito senador, porém renunciou ao mandato dois anos depois, para assumir o cargo de governador nomeado de Mato Grosso do Sul, logo que ocorreu a divisão dos Estados. Ele assumiu a função em 7 de novembro de 1980.

 

Ele tornou-se governador sul-mato-grossense, novamente, em 15 de março de 1991, após ser eleito durante pleito direto em 1990. Ele permaneceu na função até 1º de janeiro de 1995.

 

Sarita Baracat

 

Em 10 de outubro, a ex-prefeita de Várzea Grande, Sarita Baracat de Arruda, morreu aos 86 anos, em decorrência de uma parada cardíaca. Ela foi a primeira mulher a ser prefeita em Várzea Grande, nos anos de 1967 a 1970. Sarita era advogada, professora, contadora e uma pensadora política tida como inspiração.

 

Sarita havia ocupado cargos como secretária de Estado de Educação e secretária da Auditoria Geral do Estado – atual Controladoria Geral — e deputada estadual. Ela foi a primeira mulher a fazer parte da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Mato Grosso. A ex-prefeita foi presidente do PMDB no Estado e fundou o Clube Esportivo Operário Várzea-grandense.

 

Filha de pais sírios, Sarita nasceu em Várzea Grande em 29 de dezembro de 1930. O pai dela, Miguel Baracat, nasceu em Damasco, capital da Síria, porém veio ao Brasil aos quatro anos. Sua mãe também era síria.

 

A ex-prefeita de Várzea Grande era mãe do colunista Fernando Baracat e do ex-secretário de Estado de Cidades, Ernandy Baracat de Arruda, o Nico Baracat, que morreu em 2012, em um acidente na BR-163. 

 

 

Fonte: Midia News

FACEBOOK