Paranatinga, 21 de Março de 2019

Judiciário

UMA DÉCADA DEPOIS

Acusado de matar policial por causa de R$ 600 vai a júri popular

Publicado 05/03/2019 22:32:49


DA REDAÇÃO

Um homem acusado de matar o policial militar Valdecy Ribeiro de Ataídes, no dia 23 de novembro de 2009, em Cuiabá, por uma suposta dívida de R$ 600, será julgado pelo Tribunal Popular do Júri no dia 13 de março, às 13h30.

 

Jean Caio Silva Nogueira, de 32 anos, teria pagado R$ 600 à vítima, na tentativa de reaver uma motocicleta roubada.

 

“Consta nos autos que em certa ocasião Valdecy contraíra uma dívida com o denunciado, num montante de aproximadamente R$ 600, mediante a promessa de que, por essa quantia, poderia reaver uma motocicleta que fora subtraída de Jean Caio”, conforme ação.

 

De acordo com a denúncia impetrada pelo Ministério Público conta Jean, Valdecy não teria honrado com o “acordo”, além de pedir uma nova quantia em dinheiro para tentar realizar o “serviço” novamente.

 

À polícia, o acusado informou, em interrogatório, que, após recusar entregar mais dinheiro à vítima, teria comprado um revólver calibre 38, por se sentir ameaçado por Valdecy.

 

“Interrogado em delegacia, Jean Caio afirmou que, quando recusou a última proposta de Valdecy, adquiriu um revólver, passando a portar consigo em virtude de termer por sua própria vida, eis que se sentia ameaçado pela vítima”, consta nos autos do processo.

 

O assassinato

 

Na ocasião do assassinato, o denunciado e um amigo, identificado apenas como “Branquinho”, estavam próximos a uma ponte que liga os bairros Altos da Serra e Planalto, na Capital.

 

A vítima teria se aproximado do local em um Chevrolet Prisma.

 

“Valdecy, que era policial militar e no momento ostentava sua farda, portava uma arma no coldre, desceu do carro e se dirigiu ao denunciado”, conforme a ação.

 

Ao se aproximar do acusado, a vítima teria lhe perguntando o que ele estava fazendo naquele local. Neste momento, Jean teria questionado Valdecy sobre o dinheiro pago a ele.

 

“Irritado, Valdecy disse que nada devia a Jean Caio e, na sequência, apontou a arma de fogo na direção do denunciado. Contudo, “Branquinho” conseguiu, momentaneamente, acalmar os ânimos de ambos”, conforme o processo.

 

Após a discussão, o suspeito teria seguido Valdecy, que foi até a casa onde marava a namorada dele. Enquanto a vítima conversava com a mulher no portão, Jean se aproximou e o questionou novamente sobre o dinheiro.

 

O acusado disparou duas vezes à queima roupa contra a cabeça de Valdecy e fugiu em seguida.

 

“Os projéteis percutidos e deflagrados pela arma do denunciado atingiram a cabeça de Valdecy a curta distância”, de acordo com os autos.

 

Fonte: Mídia News

Publicidade Áudio

Enquete

Até o momento qual a sua avaliação sobre a gestão de Mauro Mendes?

ÓTIMA

BOA

RUIM

PÉSSIMA

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE