Paranatinga, 24 de Setembro de 2018

Geral

Universitária morre com síndrome de Guillain-Barré em Cuiabá

DOENÇA NEUROLÓGICA | 22/03/2018 13:31:07


A universitária Amanda Soares de Oliveira Silva, de 20 anos, morreu nesta quarta-feira (20), no Pronto-Socorro de Cuiabá, com síndrome de Guillain-Barré, doença autoimune que afeta o sistema nervoso e causa a perda de movimentos do corpo.

 

A jovem cursava agronomia na Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), em Tangará da Serra (a 242 km de Cuiabá).

 

A Universidade decretou luto oficial de três dias com suspensão das atividades administrativas e pedagógicas por dois dias por conta da morte da jovem.

 

Conforme a assessoria de imprensa do Pronto-Socorro, Amanda deu entrada na unidade no dia 7 de fevereiro, com fortes dores nos braços e pernas.

 

A assessoria confirmou que ela morreu por complicações da síndrome.

 

Antes de ser internada em Cuiabá, a jovem havia procurado tratamento em um hospital público de Tangará da Serra. No entanto, não havia um médico especialista na unidade.

 

O corpo está sendo velado na residência da família em Tangará da Serra, no Bairro Vila Horizonte, e o sepultamento acontecerá na tarde desta quinta-feira (22). 

 

Guillain-Barré

 

A Guillain-Barré é uma doença neurológica considerada muito rara e que afeta o sistema nervoso. O principal sintoma é a fraqueza muscular. A paralisia pode começar pelos pés e subir pelo corpo, chegando até o rosto. Em casos mais graves, pode afetar o diafragma e levar à morte.

 

A doença costuma aparecer após um quadro de infecção. O organismo reage e produz anticorpos para se proteger. Porém, no caso da Guillain-Barré, os anticorpos atacam a mielina, a membrana que reveste as fibras nervosas, de acordo com o médico Lidioney Siqueira.

 

O Ministério da Saúde confirmou que a infecção pelo Zika Vírus pode provocar também à Síndrome de Guillain-barré.

 

Fonte: Midia News

Rádios

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE