Paranatinga, 11 de Dezembro de 2017

Geral

PF apreende joias, armas e munição na casa de conselheiro

FEDERAL | 22/11/2017 07:41:05


A Polícia Federal encontrou armas, munições e joias na casa do conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Antônio Joaquim, durante busca e apreensão referente à Operação Malebolge, em 14 de setembro.

 

O conselheiro foi afastado de suas funções durante a operação, deflagrada com base na delação premiada do ex-governador Silval Barbosa.

 

Joaquim foi acusado pelo ex-chefe do Executivo de ter recebido, junto com outros conselheiros, R$ 53 milhões para não atrapalhar o andamento de obras da gestão do peemedebista.

 

Conforme lista da Polícia Federal, divulgada nesta terça-feira (21) pelo site HiperNotícias, as apreensões relacionadas a Antônio Joaquim continham, entre outros itens, duas armas – sendo um revólver e uma pistola –, 61 munições de calibre .380, diversos colares e anéis, além de documentos.

 

Os itens foram apreendidos na residência de Joaquim e no gabinete da presidência, na época em que ele ocupava o cargo de liderança da Corte de Contas.

 

Entre os documentos apreendidos consta uma pasta de papel branca com a identificação "Tribunal de Contas de Mato Grosso", com a inscrição "Bomba A", com diversos nomes. Há ainda um envelope branco, com os dizeres: "Para Maura Sigiloso; Conselheiro Sérgio Ricardo e João Batista", que possuía diversos documentos.

 

Ainda entre os documentos apreendidos um envelope branco com a inscrição "A/C Ludmila", no qual havia 10 notas promissórias emitidas por um homem identificado como Wilian de Almeida. O item foi encontrado na sala da assessoria do chefe de gabinete, que então pertencia ao conselheiro. No Ministério Público de Contas, há um procurador chamado William Brito de Almeida Junior, mas não existe a confirmação de que se trata de mesma pessoa.

 

Na residência de Antônio Joaquim foram apreendidos 61 itens, sendo eles cinco telefones celulares da marca Apple; diversos pen drives; agendas com anotações manuscritas; CDs e DVDs; documentos diversos;  cartões de memória; cartões bancário; tablets; computadores e um relógio de pulso.

 

No local também foram recolhidos diversos objetos de uso pessoal, sendo eles nove anéis; 18 pares de brinco; 20 colares; 11 pingentes; 13 pulseiras e uma peça de brinco avulso – aparentemente lacrado.

 

No gabinete da presidência, foram apreendidos 80 itens, como telefones celulares de diversas marcas; HD de computador; cartões de memória; agendas manuscritas; diversos documentos; cadernos; envelope; laptop e cheques.

  

Os 141 itens apreendidos na Malebolge, relacionados ao conselheiro afastado, estão sendo analisados pela Polícia Federal, que posteriormente encaminhará os levantamentos para a Procuradoria-Geral da República (PGR), responsável por conduzir as investigações.

 

Os itens recolhidos na residência chegaram a ser utilizados como argumento pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, para negar pedido do conselheiro afastado para retomar suas funções no Tribunal de Contas. Ela destacou que tais elementos se mostraram suficientes para assegurar a necessidade das investigações e do afastamento do membro da Corte de Contas

 

 

Fonte: Midia News

FACEBOOK