Paranatinga, 27 de Julho de 2017

Geral

Mulher é morta pelo próprio marido durante brincadeira em padaria

BRINCADEIRA MORTAL | 13/02/2017 17:05:36


Uma mulher foi morta a tiros pelo próprio marido durante uma suposta brincadeira dentro de uma padaria em Praia Grande, no litoral de São Paulo. Imagens de câmeras de monitoramento obtidas pelo G1 mostram o desespero do rapaz após notar que a arma havia disparado e atingido o pescoço da mulher, que chegou a ser socorrida, mas morreu no hospital.

 

O crime aconteceu na padaria Santa Terezinha, localizada na Avenida Presidente Kennedy, uma das mais movimentadas da cidade. Alexandre Severino de Noronha, de 35 anos, e Francisca Marinheiro da Silva, de 37, eram gerentes do local e estavam no meio do expediente quando Noronha resolveu mostrar a arma que havia comprado para a mulher.
 

De acordo com informações do delegado Alexandre Comin, responsável pelo registro da ocorrência, o casal trabalha em horários diferentes e o disparo acabou sendo feito durante a troca de turnos. O casal estava em um quartinho no fundo da padaria, onde os funcionários possuem um local reservado para conversarem.

 

“Ele pegou uma arma do armário e apontou, aparentemente brincando, para outro funcionário. Em seguida, ele deu risada e botou a arma na mesa. Logo depois ele apontou para a esposa, tirou parte da munição e abaixou. Após isso ele apontou de novo o revólver para a mulher e a arma acabou disparando”, conta Comin.

 

Segundo testemunhas ouvidas pelo G1, na noite deste domingo (12), Noronha se desesperou ao ver que a arma havia disparado. Nas imagens é possível ver que ele socorre a mulher e a arrasta, ferida, para a porta do estabelecimento. Um funcionário da padaria é acionado e chega a tentar uma massagem cardíaca em Francisca, antes da chegada da equipe de socorro.

 

As equipes do SAMU foram acionadas por outro funcionário. A mulher foi encaminhada com vida para o Pronto Socorro Central da cidade. Noronha seguiu para o local e, ao receber a notícia de que a esposa havia morrido, acabou passando mal e precisou de atendimento. Ele confessou para a médica que atirou na mulher e ela acabou chamando a polícia.

 

“A médica que fez o atendimento chamou a polícia e avisou que ele era o responsável pelos disparos. Nossa equipe foi ao local e o prendeu em flagrante. Ouvimos uma testemunha que realmente confirmou que ele estava brincando. Essa testemunha disse que ficou constrangida e resolveu sair do local. O disparo aconteceu em seguida”, afirma o delegado Comin.

 

Preso em flagrante, Noronha responderá por homicídio doloso e por porte ilegal de arma de fogo. “É doloso por ser um dolo eventual. Não se pode brincar com uma arma. Por mais que ele não tivesse a intenção de matá-la, só o fato de brincar e apontar a arma para a vítima faz com que ele tenha que responder dessa forma, já que assumiu um risco”, finaliza Comin. 

 

 

Fonte: GLOBO