Paranatinga, 20 de Abril de 2019

Geral

DEPOIMENTO À POLÍCIA

Médico admite ter injetado 300 ml de produto proibido em bancária

Publicado 20/07/2018 16:32:44


O médico Denis Furtado confessou em depoimento à Polícia Civil ter aplicado 300 mililitros de polimetil-metacrilato, conhecido como PMMA, na bancária Lilian Calixto, de 46 anos, que morreu horas depois do procedimento, realizado no Rio de Janeiro.

 

Denis e sua mãe Maria de Fátima Barros Furtado estão presos desde quinta-feira (19), acusados pela morte de Lilian, que era gerente de banco em Cuiabá.

 

O PMMA foi utilizado pelo médico para aumento dos glúteos de Lilian. De acordo com o depoimento, momentos após a aplicação, ela disse a Denis que estaria se sentindo enjoada.

 

A bancária então foi levada para o hospital Barra D’Or, mas, de acordo com os médicos, ela já chegou em estado grave. Lilian ficou na unidade por pelo menos 2h, mas não resistiu e morreu na madrugada de domingo (15).

 

Ainda conforme o médico, foram injetados 150 ml do produto em cada lado do glúteo e que todo o procedimento durou cerca de 1h15.

 

Para a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e Sociedade Brasileira de Dermatologia, o uso do PMMA não é recomendado para fins estéticos. A única exceção seria o uso para preenchimento facial em pessoas com HIV/Aids, para corrigir a lipodistrofia causada pelos medicamentos, em pequenas quantidades.

 

Os 300 mililitros injetados pelo médico representam quase uma lata de refrigerante. 

  

Após a morte de Lilian, a Polícia Civil indiciou Denis e sua mãe por homicídio qualificado e associação para o crime.

 

Todo o procedimento médico foi realizado apartamento do médico, em uma cobertura na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.

 

A mãe também participou do procedimento. A namorada do médico, Renata Fernandes, que trabalhava como secretária da clínica, foi presa no domingo. Ela também foi indiciada pela polícia por participação.

 

Ainda no domingo a empregada domestica de Denis, Rosilane Pereira da Silva, que, segundo a Polícia, emprestou o nome para a abertura da clínica, que na verdade tem autorização para atuar como salão de beleza, chegou a ser detida, mas foi liberada após prestar esclarecimentos.

 

Fonte: Midia News

Publicidade Áudio

Enquete

Prefeitura e Câmara de Paranatinga lança Consulta Pública - UNEMAT

ADMINISTRAÇÃO

AGRONOMIA

PEDAGOGIA

TURISMO

CIENCIA DA COMPUTAÇÃO

CIÊNCIAS ECONÔMICAS

ENGENHARIA CIVIL

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

ENGENHARIA ELÉTRICA

FISICA

JORNALISMO

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ARQUITETURA E URBANISMO

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

EDUCAÇÃO FÍSICA

ENGENHARIA DE ALIMENTOS AGROINDUSTRIAL

ENGENHARIA FLORESTAL

GEOGRAFIA

LETRAS

QUIMICA

SOCIOLOGIA

ZOOTECNIA

AGROECOLOGIA

ARTES VISUAIS

CIÊNCIAS

ENFERMAGEM

FILOSOFIA

HISTÓRIA

MATEMÁTICA

SISTEMAS

TEATRO

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE