Paranatinga, 17 de Outubro de 2018

Geral

Delegada: alvo de operação tinha camiseta que zombava da Polícia

PRENDA-ME SE FOR CAPAZ | 26/09/2018 11:47:41


Um dos alvos da Operação Crepitus, deflagrada pela da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), na manhã desta quarta-feira (26), possuía uma camiseta com o brasão da Polícia Civil e os dizeres: "Prenda-me se for capaz".

 

Para a a Polícia Civil, a frase zomba das autoridades. 

 

A operação tem por objetivo desarticular uma organização criminosa responsável por tentar explodir o muro do Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), antigo Carumbé, no dia 19 de agosto.

 

De acordo com a delegada Juliana Chiquito Palhares, a camiseta foi apreendida na casa de Gabriel de Paula Bueno, no Bairro Cidade Alta, em Cuiabá. Lá, os policiais também encontraram uma emulsão com cordel detonante, além de diversas munições.

 

Segundo a delegada, ele é acusado de ter participado da ação, dando apoio do lado de fora do presídio.

 

Além dele, os policiais prenderam Radamés Bruno Nicola Barros, no Bairro Porto. Também são alvos da ação policial 11 reeducandos do CRC.

 

 

E hoje, durante a operação, foi localizado na residência do Gabriel, a emulsão e o cordel, duas munições, além dessa camiseta com menção à Policia Judiciária Civil e o mais interessante é que tem um recadinho: prenda-me se for capaz

“Em relação ao Gabriel, ele deu apoio à ação de dentro de um veículo Ônix. Esse veículo foi roubado de um condutor de aplicativo momentos antes da tentativa de explosão. Nós identificamos o motorista, que o reconheceu através de retrato fotográfico. Além disso, também conseguimos imagens do circuito de uma câmera que mostram o momento em que Gabriel entra no Ônix que foi solicitado através do aplicativo”, disse.

 

“E hoje, durante a operação, foram localizados na residência do Gabriel, a emulsão e o cordel, duas munições, além dessa camiseta com menção à Policia Civil. E o mais interessante é que tem um recadinho: 'prenda-me se for capaz'”, disse a delegada.

 

Conforme Juliana, Radamés também deu apoio à tentativa de explosão do lado de fora, com um Celta.

 

“Ele nega a participação, contudo não apresentou a documentação hábil da venda do veículo, ou transferência, e também não apresentou o comprador. Por isso, os elementos que nós coletamos trazem a convicção que ele tem envolvimento”, afirmou.

 

Os investigados serão interrogados pela GCCO e apresentados em audiência de custódia na tarde de hoje.

 

A operação 

 

Segundo a Polícia Civil, desde a ocorrência, diversas diligências foram feitas de forma integrada, sob coordenação da GCCO, para apurar o fato.

 

Participaram do trabalho de elucidação a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal, outras unidades da Polícia Civil, Polícia Militar, e Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh).

 

Crepitus, segundo a Polícia Civil, significa choque em latim. 

 

A tentativa de explosão 

 

Em agosto deste ano, 16 bananas de dinamites foram encontradas pelo esquadrão antibombas do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), próximo ao muro do Centro de Ressocialização da Capital (CRC), no Bairro Carumbé.

De acordo com a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), os explosivos foram localizados após agentes penitenciários encontrarem um buraco escavado na ala M, que tinha saída para um dos espaços religiosos da unidade prisional.


Ao todo, 93 presos foram removidos do espaço para a revista policial. Além do buraco na parede, do lado de fora, uma sacola com 16 bananas foi encontrada.

 

Fonte: midianews

Rádios

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE