Paranatinga, 14 de Dezembro de 2017

Geral

Administrador deixa carreira e investe em churrasco em domicílio

EMPREENDEDORISMO | 03/12/2017 23:15:14


A tradição de reunir parentes e amigos em confraternizações regadas a muito churrasco não precisa ser sinônimo de trabalho redobrado para dar conta de comprar, cozinhar e arrumar tudo. 

 

O Açougue 154, em Cuiabá, oferece o serviço de churrasco a domicílio com carnes nobres, por preços a partir de R$ 90 por pessoa, para um grupo de 20 pessoas.

 

A empresa foi aberta em 2016 por Lamonnyel Vieira de Moraes, de 30 anos. Ele é formado em Administração, mas resolveu abandonar a carreira de consultor empresarial pela paixão na área gastronômica.

 

“Comecei fazendo um curso de cozinheiro no Senac; depois, fiz diversos cursos de churrasco em São Paulo.  Me apaixonei e decidi que era isso que queria para mim”, afirmou.

 

“A ideia do churrasco a domicílio é apresentar uma nova fórmula de churrasco, porque o churrasco sempre foi tradicional. As pessoas vão lá, acende o fogo, mete a carne no espeto e pronto. E, com tudo que aprendi, quero mostrar para todo mundo que existem outras formas, que podemos sair do comum”, completou.

 

As carnes servidas por Lamonnyel são feitas na parilla, churrasqueira criada na Argentina e que, segundo ele, deixa a carne com mais suculência.

 

 

Comecei fazendo um curso de cozinheiro no Senac, depois fiz diversos cursos de churrasco em São Paulo. Me apaixonei e decidi que era isso que queria para mim

Na parilla, ele ainda faz legumes, frutas, farofa e até sobremesas e drinks, que são servidos como acompanhamentos no churrasco.

 

“A única ferramenta com que eu trabalho é a parilla. Ela é meu fogão. Nela eu faço, além das carnes, farofa, legumes, enfim.  Coloco a panela no fogo e posso fazer o que eu quiser. Não preciso mais de fogão”, afirmou.

 

“De sobremesa, por exemplo, dá para fazer uma banana assada com doce de leite. Dá para fazer algumas frutas caramelizadas. A churrasqueira é tão versátil que, se você quiser fazer uma pizza nela, você faz. Desde que você conheça as técnicas de temperatura”, relatou.

 

“Com relação aos drinks, dá para pegar o caju, tostar e servir como caipiroska. Outro exemplo: o limão, em contato com a fumaça, quebra um pouco da acidez dele e ele fica um pouco mais doce. Então, você pode fazer um caipirinha, dando um aroma de defumado no limão com um melaço de cana”, disse.

 

Cortes e raças

 

Dentre as opções oferecidas pelo Açougue 154, estão cortes das raças Angus e Hereford, da Europa, e Wagyu, do Japão.

 

“O diferencial está sempre na maciez, no acabamento e no marmoreio. O marmoreio é a gordura que fica entremeada na carne. Quanto mais marmoreio, mais essa carne será macia e suculenta”, explicou Lamonnyel.

 

Ele citou que outro diferencial do seu churrasco é aproveitar toda a carne do animal.

 

“Não existe carne de segunda, se o boi é de primeira. Por exemplo, o pensamento de antes de que o acém só servia para moer, ou fazer carne de panela, hoje a gente tem um acém na grelha, que é melhor que a maioria das picanhas que você já comeu”, disse.

 

“Grande parte dos meus eventos foca nas carnes do dianteiro do animal. Faço um shoulder, que é uma carne do ombro, que tem uma textura de filé mion, mas tem muito mais sabor. O short rib, que seria um acém com osso, e fica fantástico. A costela de tira, que é uma costela do dianteiro do animal e com apenas seis minutos na churrasqueira, já fica pronta”, completou.

 

Segundo Lamonnyel, a grande dificuldade é agradar os clientes com o ponto da carne.

 

“A gente tem uma luta, que é o ponto da carne, porque cada um gosta de um ponto diferente, e a gente tenta mostrar que a carne ao ponto para mau passada vai ter mais líquido internamente. Ou seja, ela é mais suculenta e preserva mais o sabor”, afirmou.

 

Para contratar os serviços do Açougue 154, para é preciso agendar, pelo menos, com duas semana de antecedência.

 

Lamonnyel também atende nos municípios e Mato Grosso.

 

"Já passei por Rondonópolis, Sapezal, Tangará da Serra, Sinop, Sorriso,  Lucas do Rio Verde... Levo a parilla e todos os demais equipamentos na caminhonete, para oferecer o mesmo padrão do churrasco que ofereço aqui em Cuiabá”, disse.

 

Venda de carne nobres

 

O Açougue 154 também vende as carnes nobres, para quem quer preparar seu próprio churrasco.

 

A empresa está atendendo temporariamente no prédio do antigo Restaurante Duca’s 7, na Avenida do CPA.

 

“Além de vender, quando alguém vem comprar a carne, eu procuro orientar qual a melhor forma de fazer aquele determinado pedaço de carne”, disse.

 

“O segredo para um bom churrasco é uma boa brasa,  paciência e atenção e uma boa carne”, completou.

 

Para Lamonnyel, esse tipo de churrasco não corre o risco de ser apenas uma moda passageira. 

 

“Comer bem todo mundo vai sempre querer comer. A tendência é todo mundo querer se aperfeiçoar, ter o conhecimento técnico para poder executar. O meu desafio é melhorar mais e conseguir me manter como um dos percussores desse tipo de churrasco”, acrescentou. 

 

Fonte: MIDIA NEWS

FACEBOOK