Paranatinga, 14 de Novembro de 2018

Esportes

Hamilton garante penta da F1 no México; Verstappen domina

Hamilton | 29/10/2018 00:41:38


Lewis Hamilton conquistou matematicamente, neste domingo, o pentacampeonato da F1 de 2018 ao fechar o GP do México na quarta posição. A prova foi dominada por Max Verstappen, que venceu pela segunda vez na temporada.

 

Hamilton, que precisava de apenas um sétimo lugar para garantir a taça, pulou para segundo logo na largada, quando Daniel Ricciardo, o pole position, caiu para terceiro após uma partida ruim.

O inglês, no entanto, não apresentou ritmo necessário para fazer frente a Verstappen, além de ter enfrentado enormes dificuldades na gestão dos pneus. Ele ainda foi superado por Sebastian Vettel, único piloto que tinha chances matemáticas de vencê-lo na tabela, e por Kimi Raikkonen. No entanto, o quarto lugar era suficiente para que seu titulo fosse confirmado.

PUBLICIDADE

 

 

 

 

 

inRead invented by Teads

 

Assim, Hamilton conquista seu quarto título nos últimos cinco anos. O pentacampeonato também o deixa empatado com os feitos de Juan Manuel Fangio, sendo que apenas Michael Schumacher, com sete taças, possui mais conquistas.

Ricciardo, o pole position, sofreu mais um abandono nas voltas finais. Valtteri Bottas completou em quinto, com Nico Hulkenberg, Charles Leclerc, Stoffel Vandoorne, Marcus Ericsson e Pierre Gasly fechando a zona de pontuação.

A corrida

Ricciardo não fez uma boa partida da pole position: ele de imediato foi superado por Verstappen e Hamilton, caindo para terceiro, enquanto que o inglês chegou a atacar o holandês pela ponta na primeira curva. Verstappen se sobressaiu no duelo e manteve a liderança.

Um pouco mais atrás, Vettel foi superado por Bottas na luta pelo quarto lugar, mas o alemão retomou a posição ainda na volta de abertura – com direito a toque de rodas entre ambos. Já no pelotão intermediário, Esteban Ocon e Brendon Hartley se envolveram em confusões separadas e tiveram de ir aos boxes logo na primeira volta para fazer reparos.

Verstappen mostrou bom ritmo nas voltas iniciais e passou a abrir vantagem confortável para Hamilton – todos os ponteiros, aliás, mantinham certa diferença entre si.

A corrida teve seu primeiro desfalque na volta 5. Fernando Alonso, que havia colidido com um detrito do carro de Ocon durante a confusão da volta de abertura, encostou na área de escape com fumaça saindo de seu McLaren.

 A direção de prova aplicou o safety car virtual por um breve instante, mas assim que as ações foram retomadas, Verstappen continuava andando em um ritmo à parte. Hamilton, por sua vez, parecia começar a ter dificuldades com os pneus, já que viu a desvantagem para Verstappen subir para mais de 5s, e com Ricciardo se aproximando atrás.

Diante disso, Hamilton foi o primeiro dos ponteiros a iniciar a primeira rodada de pitstops, ainda na volta 12. O inglês e Bottas foram aos boxes na mesma volta para tirar os pneus ultramacios e colocar os supermacios.

Ricciardo fez o mesmo na volta seguinte, embora a volta a mais que permaneceu na pista em relação à Hamilton impossibilitou qualquer ataque. Na volta 14, Verstappen trocou seus pneus, o que manteve a ordem entre os três primeiros.

A Ferrari foi por um caminho diferente estrategicamente falando. Vettel e Raikkonen se mantiveram na pista, prolongando o uso com os pneus ultramacios, o que fez com que o finlandês fosse superado na pista por Verstappen, que voava com pneus novos.

Vettel e Raikkonen só vieram a parar na volta 18. Ambos retornaram, respectivamente, em quarto e sexto, as mesmas posições que ocupavam antes da primeira rodada de pitstops.

Verstappen, então, retornou à ponta, já com uma vantagem de 8s para Hamilton. Ricciardo tentava pressionar o piloto da Mercedes na luta pelo segundo lugar, mas não conseguiu armar um ataque decisivo.

Pouco após a volta 20, Hamilton passou a se queixar novamente dos pneus, especialmente porque o composto dianteiro esquerdo já começava a apresentar bolhas. Ricciardo novamente tentava ganhar terreno, mas esta vez com a companhia de Vettel. Porém, todos os ponteiros mostravam certa cautela, já que o desgaste excessivo da borracha era algo com que todos teriam de lidar.

Vettel tentava armar um ataque, mas as ações foram interrompidas com o abandono de Carlos Sainz, na volta 31. O espanhol vinha bem na zona de pontuação, mas sofreu problemas mecânicos no setor do estádio. Isso provocou novo e breve período de safety car virtual.

Assim que as ações foram retomadas, Vettel conseguiu tirar bom proveito do tráfego dos retardatários e emparelhar com Ricciardo na longa reta para consumar a ultrapassagem na curva 1. O alemão passava a ocupar o terceiro lugar.

Por ter parado mais tarde na primeira rodada de pitstops, Vettel tinha pneus mais novos entre os ponteiros. Isso foi propício para que ele começasse uma perseguição a Hamilton, reduzindo a diferença gradativamente. Ele conseguiu armar a manobra e superar o rival na volta 39, com dinâmica idêntica à aplicada sobre Ricciardo poucas voltas antes.

Na volta 42, a torcida local teve uma má notícia, já que Sergio Pérez, piloto da casa, recolheu à garagem da Force India para abandonar a prova.

Vettel, livre na segunda posição, passava a ser o piloto mais rápido da pista. Ele reduzia a vantagem de Verstappen na ponta, embora o holandês estivesse com uma margem de mais de 10s.

Hamilton continuava sofrendo com os pneus. Isso o transformou em alvo dos ataques de Ricciardo, e o australiano enfim conseguiu a posição na volta 47: colocou lado a lado com Hamilton, o inglês perdeu o ponto de freada da curva 1, passou reto e caiu para quarto.

Pouco depois, Vettel e Hamilton fizeram juntos sua segunda parada. Verstappen fez o mesmo uma passagem depois. No mesmo período da prova, Raikkonen superou Bottas, e o piloto da Mercedes prontamente foi aos boxes.

A cerca de 20 voltas para o fim, os líderes foram por caminhos diferentes: Verstappen usava pneus supermacios novos com duas paradas; Ricciardo se mantinha com os supermacios usados, com só um pitstop, enquanto que Vettel e as Mercedes adotaram os ultramacios, também com duas trocas.

Vettel se aproximou de Ricciardo, que se mantinha em segundo com uma única parada no box. Porém, na volta 63, Ricciardo se tornou o quarto piloto a abandonar a prova, com seu carro em fumaça na reta dos boxes.

A partir de então, a Red Bull passou a ter preocupações quanto a Verstappen, já que havia temores de que o problema sofrido por Ricciardo pudesse se repetir no carro do líder da prova.

Mas nada aconteceu: Verstappen cruzou a linha de chegada em primeiro, à frente de Vettel e Raikkonen, que completaram o pódio. Hamilton, com o quarto lugar, garantiu o título.

 

Fonte:

Rádios

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE