Paranatinga, 25 de Abril de 2018

Eleições

Taques, Jaime e Mendes lideram preferência dos eleitores em MT

ELEIÇOES 2018 | 15/12/2017 11:20:01


DIÁRIO DE CUIABÁ

Pesquisa Ibope encomendada pelo Diário para medir a intenção de votos para 2018 dos mato-grossenses aponta que a disputa para o governo do Estado poderá ser definida pela primeira vez em segundo turno.

 

Pelo menos é o que revela os principais cenários mais prováveis na corrida ao Palácio Paiaguás. Na modalidade estimulada - quando uma lista de possíveis candidatos é apresentada ao entrevistado -, o governador Pedro Taques (PSDB) aparece liderando os possíveis cenários onde aliados seriam o seu principal adversário.

 

No primeiro, Taques aparece com 22%, contra 18% do ex-senador Jayme Campos (DEM), 11% o procurador Mauro (Psol) e o conselheiro afastado Antônio Joaquim com 4%.

 

Brancos e nulos chegam a 32% e não souberam ou não quiseram responder 13%. Pela margem de erro que é 3 pontos percentuais para mais ou para menos, Taques e Jayme estariam empatados tecnicamente. 

Já no segundo cenário com a presença do ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (sem partido), o atual governador aparece com 23% de intenção de votos, já Mendes aparece com 15%, Procurador Mauro 13% e Antônio Joaquim com 4%. Brancos e Nulos 32% e não responderam 12%. 

Pedro Taques também lidera quando o nome do vice-governador Carlos Fávaro (PSD) entra na disputa. O tucano chega neste cenário a 26%, seguido do procurador Mauro com 17%, Antônio Joaquim 5% e Fávaro 4%. Brancos e Nulos 35% e não souberam responder 13%. 

Outro cenário também apresentado pelo Ibope coloca Taques com 28% de preferência dos entrevistados. O procurador Mauro aparece com 17%, Antônio Joaquim com 5% e o deputado federal Adilton Sachetti (sem partido) 3%. Brancos e Nulos 35% e não souberam ou não quiseram responder 12%. 

O que chama atenção nos primeiros quatro possíveis cenários é abstenção dos eleitores. A média de Brancos e Nulos chega a 33,5%. 

 

Maggi na frente

O único cenário em que o governador Pedro Taques (PSDB) não aparece em primeiro, é quando o nome do ministro da Agricultura Blairo Maggi (PP) aparece na pesquisa. Mesmo com o anúncio de que não disputará o governo do Estado novamente e sim a reeleição ao Senado Federal, Maggi aparece com 18% de intenção de voto ao governo.

 

Em segundo lugar aparecem empatados com 11% Jayme Campos e Pedro Taques. Seguidos por Mauro Mendes com 10%, senador Wellington Fagundes (PR) com 7%, procurador Mauro com 4%, Lúdio Cabral (PT) 3% e Adilton Sachetti, Antônio Joaquim e Carlos Fávaro empatados com 1% cada. 

Brancos e Nulos 19% e não sabem ou não quiserem responder 13%. 

Segundo turno

 

O Ibope também simulou vários cenários de segundo turno para o Palácio Paiaguás no ano que vem. Na primeira hipótese, em uma eventual disputa entre Taques e Mendes, o governador seria reeleito com 33%, contra 28% do ex-prefeito da capital. Brancos e Nulos 31% e não respondeu 9%. 

Quando o cenário de 2º turno tem o nome do ex-senador Jayme Campos, Taques aparece com 30% de intenção de voto contra 27% do democrata. Ou seja, um empate técnico se lavarmos em conta a margem de erro. Brancos e Nulos 35% e 9% não souberam responder. 

Se a disputa for entre Taques e Fávaro, o governador venceria com 40%, contra 11% do vice-governador. Brancos e Nulos alcançariam 38%. Já os que não quiseram responder são 11%. 

Se a disputa fosse com Antônio Joaquim, Taques alcançaria 39% de intenção de voto, já o conselheiro 15%. Brancos e Nulos 36% e quem não respondeu ou não quiseram responder 10%. 

Se Pedro Taques enfrentasse o procurador Mauro no segundo turno, ele teria 34% contra 23% do adversário. Brancos e Nulos chegam a 33%. Não souberam ou não quiseram responder 10%. 

Se o segundo turno fosse entre Taques e Sachetti, o governador teria 39% contra 12% do deputado federal. Brancos e Nulos 39% e não quiseram responder 10%. 

Quando o cenário é entre Pedro Taques e Wellington Fagundes, o governador alcança 34% e Fagundes 24%. Brancos e Nulos 32% e não responderam 9%. 

Já em um eventual cenário sem o governador Pedro Taques, a disputa ficaria entre Jayme Campos e Mauro Mendes, que aparecem empatados com 28% cada. Brancos e Nulos 34%, não responderam ou não souberam responder 10%. 

Espontânea

 

Já na modalidade espontânea – quando uma pergunta é feita aos entrevistados e não é dada nenhuma alternativa para resposta – o governador Pedro Taques aparece em primeiro lugar com 5%. Blairo Maggi e Wellington Fagundes ficam empatados com 3% cada, seguidos de Jayme Campos com 2% e Lúdio Cabral com 1%. Se somarmos todos os outros candidatos que tiveram menos 1% na pesquisa, o resultado chega a 2%. Brancos e Nulos 23% e não souberam ou não quiseram responder 60%. 

 

A pesquisa Ibope também perguntou aos entrevistados o nível de interesse pelas eleições que ocorrerão em outubro do ano que vem. 38% dos entrevistados disseram que não tem nenhum interesse na disputa eleitoral de 2018. Outros 25% responderam que possuem pouco interesse. Já os que têm muito e médio interesse chegam a 34%. Não respondeu ou não soube responder 3%. 

Mudança

 

O Ibope também perguntou a expectativa que os mato-grossenses têm no próximo governador do Estado.

 

Para 60%, o próximo governador deveria mudar totalmente a atual administração do Estado. Já 16% exigem mudança com a manutenção de alguns programas da atual gestão. 11% preferem que o próximo gestor faça poucas mudanças e 8% gostaria que a futura administração desse continuidade no modelo atual de governar. 

A pesquisa Ibope ouviu 812 entrevistados em 30 cidades mato-grossenses entre os dias 2 a 8 de dezembro. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. 

Dos 812 entrevistados, 196 são da capital, 140 da região sudoeste, 154 norte e nordeste e 322 sudeste. 

A pesquisa foi realizada com eleitores que votaram nas últimas eleições (votantes) da área em estudo, com um modelo de amostragem de conglomerados em 3 estágios. No primeiro estágio os municípios são selecionados probabilisticamente através do método PPT (Probabilidade Proporcional ao Tamanho), tomando os eleitores que votaram nas últimas eleições (votantes) como base para tal seleção. 

No segundo estágio são selecionados os conglomerados: setores censitários, com PPT (Probabilidade Proporcional ao Tamanho) sistemático. A medida de tamanho é o número de votantes dos setores. 

Finalmente, no terceiro estágio é selecionado em cada conglomerado um número fixo de votantes. 

Foram entrevistados homens e mulheres em diversos grupos de idade entre 16 e 17 anos, 18 e 24, 25 e 34, 35 e 44, 45 e 54, 55 e 64, e 65 anos para cima. 

A formação dos entrevistados varia entre até 4ª série do ensino fundamental, 5ª a 8ª série, ensino médio e superior. 

Foram utilizados como fontes de dados para elaboração da amostragem o Censo 2010, da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (PNAD-IBGE) de 2015 e dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de 2016 e estudos internos. 

 

Fonte:

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE