Paranatinga, 22 de Junho de 2018

Eleições

‘População não entende ficar três anos junto e dizer que não presta’, diz Russi sobre Fávaro

Russi sobre Fávaro | 07/04/2018 11:29:09


O ex-secretario chefe da Casa Civil, deputado Max Russi (PSB), em entrevista a imprensa na manhã desta quinta-feira (5) declarou que a população muitas vezes não entende renúncias em um governo, como foi o caso do vice-governador Carlos Fávaro (PSD), e que cabe aos eleitores avaliar o que aconteceu.

O deputado também disse entender que a saída de Fávaro neste momento enfraquece o projeto de reeleição do governador Pedro Taques (PSDB) e que sua saída não significa que todo o trabalho feito no governo não prestou.

“O grupo quanto maior tiver e com bons candidatos é melhor. É lógico que toda perca é complicado, agora temos que ver como a população vai entender isso. Por que a população não aceita ficar todo momento junto e depois no outro momento você dizer que não presta, aquilo que você trabalhou junto e apoiou. Vamos ver como vai ser esta saída e qual vai ser o discurso” afirmou o deputado.

Carlos Fávaro protocolou sua renúncia na Assembleia Legislativa nesta manhã, alegando que irá trabalhar na construção de seu partido, o PSD para as eleições de outubro.

Em seu perfil em uma rede social, Fávaro disse não entender que é o correto se dedicar ao partido recebendo o salário de R$ 20 mil como vice e não estar contribuindo 100%, como fez durante os três anos e três meses de mandato.

“Hoje protocolei minha renúncia ao cargo de vice-governador na Assembleia Legislativa. Tomei esta decisão em razão da missão dada pelo meu partido, o PSD, de construir um novo projeto para Mato Grosso. A razão é simples: Não poderia me dedicar a este propósito, fortalecendo o partido para as candidaturas proporcionais e majoritárias, recebendo o salário de R$ 20 mil e nem continuar utilizando toda a estrutura que dá apoio à vice-governadoria”, disse.

Fávaro além de vice-governador por mais de três anos, também esteve por 20 meses à frente da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema). No início deste ano, com a desistência do ministro Blairo Maggi (PR) de se candidatar a reeleição, o vice anunciou que irá se candidatar ao Senado nas eleições de outubro.

 

Fonte: Olhar Direto

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE