Paranatinga, 17 de Novembro de 2018

Eleições

Max diz que Fávaro usou Governo, mas não se elege nem a vereador

“JUROU AMOR” | 26/04/2018 13:12:28


O deputado estadual Max Russi (PSB) não poupou críticas ao ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD) e demais ex-secretários de Estado que assinaram, na última terça-feira (25), um manifesto contra a reeleição do governador Pedro Taques (PSDB).

 

Além de Fávaro, assinaram a lista os ex-secretários João Batista Silva (Saúde), Eduardo Chileto (Cidades) e Adriana Vandoni (Gabinete de Transparência e Combate à Corrupção), o delegado Adriano Peralta, que comandou a Polícia Civil e o ex-presidente da Ager, Eduardo Moura.

 

Para Russi, muitas dessas pessoas, especialmente Carlos Fávaro, se aproveitaram do Governo até o último momento e agora alegam que o critica.

 

 

3 anos e 4 meses o Governo era uma maravilha. Agora que se aproxima o processo eleitoral, os interesses são outros

“São pessoas que ficaram três anos e quatro meses no Governo. Toda reunião do governador, secretário dizia ‘estamos juntos’, ‘o senhor está indo muito bem’. O ex-vice, por exemplo, fez juras de amor ao governador, falou que estariam juntos, que eram companheiros, que o governador estava fazendo muito pelo Estado”, disse Russi.

 

O deputado afirmou ainda que Fávaro só se fez conhecido em Mato Grosso por “usar toda a estrutura” do Governo e renunciou ao cargo de vice em razão de um "desejo pessoal de candidatura".

 

“Ou seja, durante três anos e quatro meses o Governo era uma maravilha. Agora que se aproxima o processo eleitoral, os interesses são outros, os desejos são outros. Aí, aquele que prestava até ontem, hoje já não presta mais. É como pegar uma laranja: você suga até o bagaço, depois descarta, não serve mais”, afirmou.

 

“Tem gente que usou de todas as benesses do Governo, o cargo, usou avião, usou assessoria, construiu projeto político em cima da estrutura do Governo, fez-se conhecido através da estrutura do Governo. Usou de tudo do Governo para crescer, aparecer e você vê na pesquisa com 1%, 2%, não sai disso. Nem no próprio município dele. Estive lá outro dia e lá falam que nem pra vereador teria condição de se eleger”, disparou o deputado sobre Fávaro.

 

"Figurinhas' sem capacidade

 

Para o deputado, se existia uma insatisfação de Fávaro em relação ao Governo, os fatos deveriam ter sido expostos muito antes, não agora que as eleições se aproximam.

 

 

Tem gente que usou de todas as benesses do Governo, usou avião, assessoria, construiu projeto político. Usou de tudo do Governo e você vê na pesquisa com 1%, 2%, não sai disso

Russi justifica que o cargo de vice é ocupado por uma pessoa que recebeu votos ao lado do governador, que não é passível de exoneração e que, portanto, tem total autonomia para fazer os apontamentos que entender necessários.

 

“Alguns participaram até o último instante do Governo, até quando a legislação eleitoral permitiu. Se eu acredito que tinha corrupção, eu não poderia participar do Governo. Tinha que pedir para sair antes e não esperar o último momento”, disse.

 

Por fim, o deputado ainda alfinetou os demais signatários da carta que passaram pelo Paiaguás nos últimos três anos e disse que respeita aqueles que se colocaram na condição de oposição desde o primeiro momento em que Taques assumiu o Executivo.

 

“Tem algumas ‘figurinhas’ ali que foram secretários e não mostraram muita capacidade. Realizaram pouco. Respeito a oposição raiz, aquela firme, coerente, que desde o primeiro dia bateu, discutiu, apontou erros, falhas, criticou e cobrou”, completou.

 

 

Fonte: Midia News

Publicidade Áudio

Rádios

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE