Paranatinga, 19 de Abril de 2019

Ecônomia

FEX

Michel Temer sanciona FEX e libera R$ 496 milhões para Mato Grosso

Publicado 21/12/2017 23:36:00


O presidente da República, Michel Temer (PMDB), sancionou no final da tarde desta quinta-feira (21) o projeto de Lei que autoriza a União a liberar R$ 1,9 bilhão referente ao Auxílio Financeiro de Fomento às Exportações (FEX) para os Estados. De Brasília, o governador Pedro Taques (PSDB) agradeceu novamente o empenho da bancada federal pela aprovação da matéria e afirmou que os recursos, aos quais Mato Grosso tem direito a R$ 496 milhões, vão contribuir para que o Executivo inicie 2018 com as contas em dia.

“Acabamos de sair da audiência com o presidente da República, ele acaba de sancionar o FEX. Eu quero agradecer ao presidente, ao chefe da Casa Civil e a toda a bancada de Mato Grosso, que nos ajudaram muito na liberação desses recursos. São R$ 500 milhões para Mato Grosso, sendo R$ 100 milhões para os Municípios. Nós vamos levar esse dinheiro para que possamos saldar salários, colocar em dia algumas contas notadamente da Saúde e tratar gente com respeito e com dignidade. Nós estamos superando desafios e construindo um novo futuro”, disse o governador, em um comunicado enviado à imprensa.

Em busca desta verba há meses, o Governo de Mato Grosso chegou a anunciar que sem os recursos do FEX poderia fechar 2017 com um déficit de aproximadamente R$ 600 milhões, e que teria ainda dificuldade em honrar com o salário dos servidores. “Tenho a certeza que ano que vem teremos um ano bem melhor do que 2017. 2018 será um ano de vitórias”, disse Pedro Taques, nesta quinta-feira.

O FEX é uma compensação financeira paga aos Estados exportadores depois que a Lei Kandir isentou o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias (ICMS) dos produtos e serviços destinados à exportação. Em contrapartida a União repassa o FEX aos Estados que deixam de ganhar com as exportações, mas todos os anos governadores que têm direito ao recurso precisam fazer uma verdadeira peregrinação à Brasília para garantir o repasse.

Dos R$ 496 milhões aos quais Mato Grosso tem direito, 25% é repassado imediatamente aos municípios. As Prefeituras também devem utilizar os recursos para pagar salários e fornecedores. A verba, segundo Taques, é crucial para que o Estado retome seu crescimento e passe ileso aos meses de janeiro e fevereiro, época em que a arrecadação do Estado tende a ser ainda mais baixa.

 

Fonte: Olhar Direto

Publicidade Áudio

Enquete

Prefeitura e Câmara de Paranatinga lança Consulta Pública - UNEMAT

ADMINISTRAÇÃO

AGRONOMIA

PEDAGOGIA

TURISMO

CIENCIA DA COMPUTAÇÃO

CIÊNCIAS ECONÔMICAS

ENGENHARIA CIVIL

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

ENGENHARIA ELÉTRICA

FISICA

JORNALISMO

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ARQUITETURA E URBANISMO

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

EDUCAÇÃO FÍSICA

ENGENHARIA DE ALIMENTOS AGROINDUSTRIAL

ENGENHARIA FLORESTAL

GEOGRAFIA

LETRAS

QUIMICA

SOCIOLOGIA

ZOOTECNIA

AGROECOLOGIA

ARTES VISUAIS

CIÊNCIAS

ENFERMAGEM

FILOSOFIA

HISTÓRIA

MATEMÁTICA

SISTEMAS

TEATRO

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE