Paranatinga, 23 de Fevereiro de 2017

Cidades

Silval tenta barrar delação de Pedro Nadaf

CONVERSA NO CCC | 16/02/2017 14:24:50


Preso preventivamente há 17 meses, o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) teria ameaçado o ex-secretário chefe da Casa Civil Pedro Nadaf para convencê-lo a não firmar termo de colaboração premiada com o Ministério Público Estadual (MPE) sem antes comunicá-lo previamente.

A ameaça teria sido feita quando Nadaf também estava preso no Centro de Custódia de Cuiabá (CCC). A colaboração premiada está prevista na lei 12.850/2013 e prevê redução ou até mesmo extinção da pena para o acusado que colabora com a Justiça revelando esquemas de corrupção e líderes de organização criminosa.

O episódio foi narrado pela juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Selma Arruda, na decisão referente à quinta fase da Operação Sodoma da Polícia Civil deflagrada na terça-feira (14).

A magistrada diz que a ameaça é um dos elementos que justifica a prisão preventiva de Silval Barbosa, apontado como o acusado mais perigoso, pois chefia a organização criminosa que desviou quantias milionárias dos cofres do Estado.

“Há ainda, notícia nos autos que Pedro Nadaf foi abordado por Silval Barbosa, quando ambos estavam presos, que lhe teria questionado quanto sua intenção de celebrar acordo de colaboração premiada com o Ministério Público, e na ocasião, foi advertido por Silval no sentido de não falar com o Ministério Público sem antes discutir o assunto com ele mesmo”, diz um dos trechos da decisão.

Não há confirmação oficial de que o ex-secretário Pedro Nadaf tenha firmado colaboração premiada. Nos bastidores, se comenta que uma eventual delação de Nadaf estaria sendo conduzida pela Procuradoria Geral da República (PGR) por envolver autoridades com foro privilegiado em tribunais superiores.

Na decisão da juíza Selma Arruda, o ex-secretário Pedro Nadaf, é citado como colaborador, embora qualquer delação premiada tenha sido veementemente negada pela sua defesa.

 

Fonte: Gazeta Digital

FACEBOOK