Paranatinga, 16 de Agosto de 2018

Cidades

Seduc abre investigação contra diretora, que pode ser demitida

SEDUZIU ALUNO | 02/02/2018 20:51:01


A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) informou, nesta sexta-feira (2), que abriu um procedimento administrativo para investigar a diretora de uma escola, em Cuiabá, que foi presa acusada de estuprar alunos da unidade.

 

O mandado de prisão temporária foi cumprido pela Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica), na tarde de quinta-feira (1º).

 

M.L.R.S., de 45 anos, foi encaminhada para o presídio feminino Ana Maria do Couto May, na Capital. Além do crime de estupro de vulnerável, ela também vai responder por fornecer bebida alcoólica a menor de idade e entrega de veículo a pessoa não habilitada.

 

“Sobre o caso da educadora investigada, a Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc) informa que está acompanhando o caso registrado. Diante dos fatos, uma equipe técnica da Secretaria Adjunta de Gestão Educacional e Inovação e Assessoria Jurídica estão trabalhando, em conjunto, para tomar as medidas necessárias que o caso exige”, diz nota da Seduc enviada à imprensa.

 

Conforme a Secretaria, caso fique comprovada a acusação, a diretora poderá ser demitida.

 

A prisão

  

As investigações realizadas pela Deddica, com apoio do Núcleo de Inteligência da Regional de Cuiabá, começaram após denúncias anônimas relacionadas a ações da suspeita.

 

De acordo com as informações, a diretora mantém um relacionamento amoroso com um dos alunos da escola, atualmente com 15 anos, porém os fatos aconteceram há mais de dois anos.

 

A diretora também é acusada de levar alunos a bares, inclusive na Praça da Mandioca, ocasião em que fornece e paga bebidas alcoólicas para os menores.

 

Pesa ainda contra a diretora, a suspeita de entregar a direção do seu veículo a adolescentes, os quais já chegaram a escola conduzindo o automóvel da suspeita, com ela no banco do passageiro.

 

De acordo com o delegado Daniel Lemos Valente, a diretora é apontada como responsável por promover festas em sua casa, regadas a álcool com a participação de alunos.

 

“As festas eram similares a bailes funks, com som alto, e geravam reclamações de moradores e vizinhos. As denúncias estão sendo investigadas em inquérito policial e as apurações iniciais estão confirmando os fatos”, destacou o delegado. 

 

 

Fonte: Midia News

Rádios

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE