Paranatinga, 22 de Outubro de 2018

Cidades

Deputado cita força, mas nega chapa pura a Governo e Senado

DEM NAS URNAS | 18/02/2018 22:46:14


Recém-filiado ao Democrata (DEM), o deputado federal Fabio Garcia rejeitou a probabilidade de a sigla disputar as eleições deste ano com uma chapa pura na majoritária – Governo e Senado.

 

A probabilidade foi sugerida pelo ex-governador Julio Campo (DEM), que citou como eventuais nomes do partido o secretário de Assuntos Estratégicos de Várzea Grande, Jaime Campos, e o ex-prefeito Mauro Mendes, que ainda irá se filiar ao Democratas.

 

“O Democrata está reunindo, obviamente, um grande grupo político. Hoje, já tem grandes nomes dentro do partido. A gente está tentando somar. Então, temos grandes nomes, mas entendo que política não se faz sozinha. Faz-se em grupo”, disse.

 

Para o deputado, a sigla precisa dialogar com os partidos do grupo do governador Pedro Taques (PSDB) qual caminho seguir e qual a melhor composição para o pleito eleitoral.

 

 

Hoje, já tem grandes nomes dentro do partido. A gente está tentando somar. Então, temos grandes nomes, mas entendo que política não se faz sozinha

Taques e o DEM estiveram na mesma coligação na eleição ao Governo de 2014. Apesar disso, não há nenhum membro do partido no primeiro escalão da gestão tucana.

 

“O DEM deve fazer seu planejamento, tomar seu posicionamento, conversar com outros partidos políticos, outras lideranças políticas. E juntos tomarmos a definição que a gente entenda ser a melhor para Mato Grosso este ano”, afirmou.

 

Disputa pela presidência

 

Em março, o DEM deve receber todos os dissidentes do PSB, que estão com mandatos e somente podem trocar de partido com a abertura da janela da infidelidade partidária.

 

No mesmo mês, a sigla irá compor uma comissão provisória com novos dirigentes em todo o País.

 

Garcia negou que tenha condicionado sua filiação a concederem a presidência do DEM em Mato Grosso. Porém, não descartou a possibilidade de se colocar à disposição para o cargo.

 

“Na época da minha filiação falaram que eu tinha condicionado a entrada com a presidência do partido. Eu faço política com a verdade e sempre disse que não tinha nada disso. E provei que não tem. Entrei no partido e lá na frente, se o partido quiser discutir alguma coisa com relação a composição do diretório, vamos discutir com muita tranquilidade”, afirmou.

 

“Estou pronto para guerra. Pronto para servir. Estou tranquilo e no momento que tivermos que discutir a nova composição do diretório do DEM, vamos sentar com tranquilidade e discutir isso entre todos nós”, completou.

 

 

Fonte: Midia News

Rádios

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE