Paranatinga, 22 de Outubro de 2017

Cidades

Coronel sugeriu encontro na piscina para evitar gravação

Informação consta em depoimento prestado pelo oficial a delegados que investigam “grampos”

“SEGURANÇA DO DIÁLOGO” | 03/10/2017 12:26:18


O tenente-coronel José Henrique Costa Soares revelou à Polícia Civil que chegou a sugerir ao major Michel Ferronato - do setor de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública (Sesp) – que eles se encontrassem na piscina do condomínio onde Ferronato reside.

 

Soares teria tomado tal atitude após perceber que Ferronato estava desconfiado de que suas conversas estariam sendo gravadas. Ele revelou ter dito ao major que a medida evitaria que ambos suspeitassem de grampos.

 

O coronel Soares é quem revelou um esquema desbaratado na Operação Esdras, da Polícia Civil, que tinha objetivo de conseguir a suspeição do desembargador Orlando Perri nas investigações relativas ao esquema de grampos ilegais operado no Estado.

 

O coronel confessou ter integrado a organização criminosa e agora está colaborando com as investigações. Já Ferronato está entre os presos na operação, que foi deflagrada na última semana.

 

Os encontros com Ferronato foram detalhados por Soares aos delegados Ana Cristina Feldner e Flávio Henrique Stringueta, em depoimento prestado no dia 18 de setembro. Dois dias antes (16), ele já havia revelado os fatos aos titulares das investigações dos grampos.

 

O major Ferronato falou que tinha um compromisso. Eu mesmo, para tranquilizá-lo, falei que no próximo encontro seria interessante, de repente, para ter mais segurança no diálogo, irmos na piscina do condomínio dele

Segundo Soares, ainda no sábado, data em que ele prestou um dos depoimentos à Polícia Civil, recebeu uma mensagem de Ferronato, combinando um encontro no domingo (17) pela manhã no Parque Mae Bonifácia.

 

Já no domingo, “com a intenção de conseguir captar a conversa, utilizei meu celular, mas não tive sucesso, porque o áudio saiu com ruído”, disse Soares.

 

Nessa conversa, Ferronato teria voltado a prometer uma promoção a Soares, caso ele conseguisse gravar imagens do desembargador Perri, para que o grupo as usasse, ainda que fora de contexto, como forma de conseguir a suspeição do magistrado.

 

“Ele iniciou a conversa falando da garantia da promoção [ao cargo de coronel]. Ele falou que tinha três vagas e uma delas seria minha, caso eu fizesse, naquela semana o que eles pretendiam, que era a exibição da imagem do desembargador”, afirmou Soares.

 

Questionado pelo delegado Flavio Stringueta, se Ferronato percebeu que estava sendo gravado, Soares afirmou que sim.

 

“Ele percebeu porque eu estava com celular e já havia sido combinado anteriormente que os encontros não poderiam ter celular. Ele começou ficar desconfiado e começou a desconversar sobre o assunto”, disse.

 

“Então, a conversa terminou. O major Ferronato falou que tinha um compromisso. Eu mesmo, para tranquilizá-lo, falei que no próximo encontro seria interessante, de repente, para ter mais segurança no diálogo, irmos na piscina do condomínio dele. Aí, nenhum de nós dois teríamos algum tipo de suspeita de que estaríamos sendo gravados”, completou Soares. Ele, no entanto, não revelou se o encontro na piscina ocorreu ou não.

 

Fonte: Midia News

FACEBOOK