Paranatinga, 16 de Outubro de 2018

Cidades

Casa noturna diz que cabo frequentou o local em horário proibido

GRAMPOLÂNDIA | 11/10/2018 13:19:04


 

 

Documentos anexados nos autos do processo da “Grampolândia Pantaneira” atestam que o cabo Gerson Correa – réu confesso no caso das interceptações ilegais realizadas em Mato Grosso - foi à casa noturna Malcom Pub no dia 30 de agosto deste ano.

 

O passeio fere uma de suas medidas cautelares, já que ele não pode sair de casa no período noturno.

 

O documento foi apresentado após uma informação recebida pelo Ministério Público Estadual (MPE), em que pedia averiguação sobre um suposto passeio do cabo a casa noturna no fim de agosto. 

 

Na denúncia, ainda constava que o réu violou a tornozeleira eletrônica, equipamento que faz uso desde que deixou a prisão, em março deste ano.

 

No último dia 4, um representante do Malcom Pub apresentou ao juiz Wladymir Perri, da 11ª Vara Criminal e Especializada da Justiça Militar, uma ficha cadastral de clientes que entraram no ambiente com arma de fogo. Nela constava o nome e a assinatura do militar. 

 

Com a apresentação do documento, o cabo pode voltar à prisão. Isso porque, em março deste ano, Gerson Correa teve habeas corpus concedido e, entre as medidas cautelares impostas para deixar a prisão, está a de se recolher à sua casa à noite e nos finais de semana.

 

A defesa do cabo deve apresentar a defesa até esta quinta-feira (11).

 

O promotor de justiça Allan Sidney do Ó, que atua no caso, ainda não se manifestou sobre os documentos. 

 

 

Fonte: Mídia News

Rádios

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE