Paranatinga, 17 de Agosto de 2019

Brasil

São Paulo

São Paulo tem ato em defesa da reforma da Previdência, da Lava Jato e de pacote anticrime

Publicado 30/06/2019 22:28:21


A cidade de São Paulo teve neste domingo (30) protesto em apoio à Operação Lava Jato e ao pacote anticrime apresentado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. Entre as pautas também estavam o apoio à reforma da Previdência e ao governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

O ato começou por volta de 14h na Avenida Paulista com cinco carros de som entre a Alameda Ministro Rocha Azevedo até a Alameda Joaquim Eugênio de Lima. O ato ocupou quatro quarteirões da Avenida Paulista, com espaços em alguns setores. O ato foi encerrado às 17h.

Segundo o movimento Nas Ruas, o ato reuniu mais de 1 milhão de pessoas. A Polícia Militar não divulgou estimativa de público. Aos domingos, a Avenida Paulista é fechada para veículos e usada como lazer pelos pedestres e ciclistas.

Os manifestantes se concentraram em dois pontos: perto do Museu de Arte de São Paulo (Masp) e perto do prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

 

Protestos em defesa de Moro, Lava-Jato e reforma da Previdência acontecem em 27 cidades

 

Protestos em defesa de Moro, Lava-Jato e reforma da Previdência acontecem em 26 cidades

 

O grupo de manifestantes usava roupas com cores da bandeira do Brasil e levava faixas com frases de apoio a pautas defendidas por Bolsonaro. Também falaram sobre defesa do porte e posse de arma.

Um carro do Movimento Brasil Livre (MBL) em frente ao Museu de Arte de São Paulo (Masp) estava distribuindo placas de apoio a Moro.

Às 17h, os manifestantes começaram a dispersar. O hino nacional foi cantado nos carros de som e, em seguida, as pessoas passaram a ir embora.

 

Confusão

 

Segundo a Polícia Militar, por volta de 16h30 houve um princípio de discussão em frente ao Masp entre membros do grupo Direita São Paulo e do MBL. Policiais militares intervieram e afastaram os envolvidos. Ninguém foi detido.

 

Carro do Movimento Brasil Conservador com foto do ideólogo Olavo de Carvalho, na Avenida Paulista, por volta das 13h30 — Foto: Beatriz Magalhães/G1

Além da capital, cidades do interior de São Paulo tiveram manifestações. Veja aqui os dados atualizados do interior do estado e também de outros municípios do Brasil.

Pela manhã, em Campinas, o ato começou às 10h na Avenida Norte-Sul, na região dos bairros Cambuí e Nova Campinas. Em Jundiaí, um grupo se reuniu na Praça 9 de Julho por volta das 10h com carro de som, cartazes, bandeiras e roupas nas cores verde e amarelo. Em Itapetininga, os manifestantes se concentraram no Largo dos Amores.

Em Jales, um grupo se reuniu na Praça do Jacaré. Em São José do Rio Preto, manifestantes ocuparam uma parte da Avenida Alberto Andaló, no Centro, com um carro de som para fazer discursos. Em Andradina, a manifestação se concentrou na Rua Santa Teresinha, na frente da Praça Antônio Joaquim de Moura Andrade, na região central da cidade.

Em Piracicaba, o ato começou com uma concentração às 9h30 na Praça José Bonifácio, no Centro, e por volta das 11h os manifestantes começaram a seguir em passeata pelas ruas do bairro. Em Ribeirão Preto, a concentração do ato começou às 10h na porta de um clube na Avenida Nove de Julho.

Em São Carlos, a concentração começou às 9h na Praça Itália, na Vila Lutfalla, onde os manifestantes vestidos de verde e amarelo distribuíram adesivos para os carros, fizeram cartazes e cantaram o Hino Nacional. Em Rio Claro, os manifestantes se reuniram às 10h na Praça do Jardim Central e disponibilizaram o microfone para os manifestantes que quisessem se pronunciar sobre o ato.

 

Em Mogi das Cruzes, os manifestantes se reuniram na Avenida Cívica.

 

 

Fonte: G1

Publicidade Áudio

Enquete

Você aprova ou não? Vereadores de MT tentam mudar nome de Portão do Inferno para Portal Paraíso

SIM

NÃO

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE