Paranatinga, 25 de Abril de 2019

Brasil

COMBATE AO TRÁFICO

Governo Federal precisa tomar conta da fronteira de forma efetiva

Publicado 13/01/2019 15:47:25


O secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, afirmou que irá “brigar” por mais investimentos do Governo Federal na fronteira do Estado com a Bolívia para combater o tráfico de drogas. 

 

Segundo Bustamante, o atual efetivo do Grupo Especial de Fronteira (Gefron) não dá conta de combater sozinho os crimes na região.

 

 

Se nós tivéssemos mais unidades da Polícia Federal, do Exército e uma base área que cuidasse dos aviões que passam por aqui carregados de drogas, melhoraria muito essa infraestrutura na fronteira e nós vamos brigar por isso

"A fronteira é uma competência do Governo Federal. Se nós tivéssemos mais unidades da Polícia Federal, do Exército e uma base área que cuidasse dos aviões que passam por aqui carregados de drogas, melhoraria muito essa infraestrutura na fronteira e nós vamos brigar por isso”, disse. 

 

Mato Grosso possui mais de 750 quilômetros de fronteira seca com a Bolívia, área que abrange 29 municípios.

 

Atualmente, conforme o secretário, 110 policiais, sendo 105 militares e cinco civis, atuam no Grupo.

 

Além do tráfico de entorpecentes, esses homens ainda precisam lidar com tráfico de armas, munições, produtos contrabandeados, roubos de veículos e outros.

 

“Basicamente o Gefron é bem equipado. O problema do Gefron é que tem poucos homens. Nós temos aqui mais de 700 km de fronteira no Estado e apenas 100 homens para tomar conta disso. É inviavél”, afirmou. 

 

“Mas se não fosse o Gefron, a droga isolaria o nosso Estado e a quantidade de roubos de veículos aqui ficaria insuportável. Nossa ideia é essa parceria com o Governo Federal para que eles tomem conta da fronteira de forma efetiva", acrescentou. 

 

Conforme Bustamente, o problema do Governo Federal é que muitas vezes ela dá o "cachimbo", mas não dá o "fumo".

 

“Ele [Governo Federal] dá o armamento, mas quem paga o policial a vida inteira sou eu. Então, a gente quer fazer uma troca boa: eu posso dar o fuzil e ele os homens, quem sabe. Enquanto a gente estiver no Governo vamos tentar fortalecer a fronteira com base no Governo Federal”, pontuou.  

 

Fonte: midianews

Publicidade Áudio

Enquete

Prefeitura e Câmara de Paranatinga lança Consulta Pública - UNEMAT

ADMINISTRAÇÃO

AGRONOMIA

PEDAGOGIA

TURISMO

CIENCIA DA COMPUTAÇÃO

CIÊNCIAS ECONÔMICAS

ENGENHARIA CIVIL

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

ENGENHARIA ELÉTRICA

FISICA

JORNALISMO

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ARQUITETURA E URBANISMO

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

EDUCAÇÃO FÍSICA

ENGENHARIA DE ALIMENTOS AGROINDUSTRIAL

ENGENHARIA FLORESTAL

GEOGRAFIA

LETRAS

QUIMICA

SOCIOLOGIA

ZOOTECNIA

AGROECOLOGIA

ARTES VISUAIS

CIÊNCIAS

ENFERMAGEM

FILOSOFIA

HISTÓRIA

MATEMÁTICA

SISTEMAS

TEATRO

Anuncios

CURTA NOSSA FAN PAGE